propaganda

quinta-feira, 5 de agosto de 2004

Fahrenheit 11 de setembro

Michael Moore é um gênio! Esta é uma das primeiras coisas a ser dita depois de ver o filme "Fahrenheit 11 de setembro". Não é um simples documentário, é uma declaração de guerra ao atual presidente dos EUA George W. Bush.

O objetivo é simples, impedir que Bush consiga se re-eleger presidente. Talvez o filme em si não consiga isso pois como disse Lilla: - "Quem vota em Bush nem deve ir ao cinema". Mas que o cara tá conseguindo fazer muito barulho ele está. O filme continua batendo recordes de bilheteria por lá sendo até agora o documentário de maior bilheteria de todos os tempos e causando polêmica. Foi até proibido na Kuait devido as graves "ofensas" feitas a família real saudita.


Você vai rir e talvez chorar dos "absurdos" mostrados no filme. Um filme para "chocar"! Como disse Maurício - "Não sei como Michael Moore não foi morto depois desse filme".

Analisando o filme simplesmente como cinema ele nem é tão bom assim. Um pouco cansativo, muita informação em pouco tempo e alguns outros pequenos defeitos. Talvez seu melhor filme ainda seja o anterior, "Tiros em Columbine". Mas isso não tira os méritos do Fahrenheit. Agora é esperar o resultado das eleições americanas e ver se tudo isso realmente foi válido.

Para quem gostou do filme e quer saber mais a respeito eu recomendo a leitura do livro "Cara, cadê meu país". Muito mais informações com muito mais detalhes.

Outra dica é entrar no site de Michael Moore:
www.michaelmoore.com
Postar um comentário