propaganda

terça-feira, 16 de janeiro de 2007

The Girl In The Café

Título original: The Girl In The Café (2005)
Elenco: Bill Nighy, Kelly MacDonald, Ken Stott, Anton Lesser e Corin Redgrave
Diretor: David Yates
Duração: 94 minutos


O canal de televisão por assinatura HBO além de exibir filmes, também os realiza. Alguns para o cinema como “Maria cheia de graça” e outros para exibição no próprio canal como “The girl in the cafe”, além de produzir também algumas séries, inclusive aqui no Brasil.

O filme “The girl in the cafe” já foi exibido no HBO Brasil e não deve ser lançado em dvd. Na direção temos um nome ainda pouco conhecido, David Yates. Mas isso vai durar pouco já que é dele a direção da quinta aventura de Harry Potter que estréia esse ano. A divulgação então ficou maior sobre o roterista Richard Curtis, que escreveu filmes mais conhecidos como “Simplesmente Amor” (que também dirigiu), “Quatro casamentos e um funeral” e “Um lugar chamado Notting Hill”. Ao ver seu nome envolvido, a impressão é que se trata de mais um filme romântico qualquer.

“The girl in the cafe” é sim um filme romântico, mas não assim tão “comum”. Uma boa comparação seria com “Encontros e Desencontros”. Enquanto 'Encontros' é um filme romântico indie, aqui temos uma história romântica com um pano de fundo político. A solidão e a diferença de idade entre o casal de protagonistas também são coisas em comum, mas as semelhanças param por aí.

Lawrence (Bill Nighy) e Gina (Kelly MacDonald) se conhecem por acaso num café. Sabemos que ele trabalha para um político, vemos um pouco da sua rotina de trabalho, mas sobre ela muito pouca coisa. É possível sentir a tristeza e solidão de cada personagem e torcemos para que desse encontro por acaso algo acabe acontecendo.

O filme pode ser resumido em duas partes. Primeiro os encontros entre os dois, se conhecendo coisa e tal. A segunda se passa na Islândia durante um encontro do G8, onde iremos ter algumas surpresas por conta de Gina e temos a parte política com um foque maior.

Os dois protagonistas dão um show de interpretação e suas performances já são suficientes para se conferir o filme. Junte isso com o clima romântico que apesar de sua tristeza inicial ganha uma beleza bem interessante. E ainda a mensagem política bastante verdadeira.

A HBO prova que existe muita qualidade nos filmes feitos para a televisão, melhor do que muita coisa que é lançada nos cinemas.
Postar um comentário