propaganda

segunda-feira, 9 de julho de 2012

O Espetacular Homem-Aranha

Título Original: The Amazing Spider-Man (EUA , 2012)
Com: Andrew Garfield, Emma Stone, Rhys Ifans, Denis Leary, Martin Sheen, Sally Field, Irrfan Khan, Campbell Scott, Embeth Davidtz, Chris Zylka e Max Charles
Direção: Marc Webb
Roteiro: Alvin Sargent, James Vanderbilt e Steve Kloves
Duração: 136 minutos

Nota: 2 (regular)

Após o diretor Sam Raimi não conseguir chegar a um acordo com a Sony sobre um quarto filme do Homem Aranha, o estúdio achou melhor contratar um novo elenco e diretor para começar a franquia novamente. O escolhido para a direção foi Marc Webb do excelente “500 dias com ela”.


O principal problema de “O Espetacular Homem-Aranha” é tentar ser diferente, quando na verdade ele é bastante parecido com o filme de 2002 de Raimi ao contar novamente a origem do herói. O objetivo pode até tentar mostrar o personagem para uma nova geração, mas com apenas 10 anos de diferença para o outro filme a coisa soa bastante forçada.

Piorando a situação a origem ainda é contada de maneira pior. O Peter Parker dessa nova versão é um cara “descolado”. Anda de skate, usa lentes de contato e até enfrenta o “valentão” do colégio para defender um outro estudante “oprimido”. É como se ele fosse destinado a ser um herói. Isso pode até soar como exagero, mas acaba deturpando bastante o personagem.

Outro problema é dar uma enfase a um mistério envolvendo os pais de Peter que nos quadrinhos é pouco citado. Isso acaba prejudicando o desenvolvimento do relacionamento do personagem com seus “pais de verdade” que eram o tio Ben e a tia May. Além disso, a história conta com vários problemas de roteiro e coincidências que soam bastante forçadas, sem falar de alguns outros problemas de fidelidade aos quadrinhos. O Homem Aranha revela sua identidade tantas vezes que que a mascara quase não era necessária.

O que poderia salvar o filme e torná-lo pelo menos bem divertido seriam as cenas de ação. Os efeitos especiais são bem feitos e o Aranha se pendurando por Nova York ficou mais realista e parecido com os quadrinhos. O 3D é normal, mas nada muito interessante. Mas as cenas de aventura são apenas razoáveis. O uso da camera em primeira pessoa que vinha sido alardeado como uma grande inovação é usado tão pouco que nem chama muito a atenção.

O que salva o filme do fracasso total são os atores. Andrew Garfield (A Rede Social) está muito bem no papel de Peter Parker e sua química com Emma Stone (A Mentira) no papel da mocinha Gwen Stacy é muito boa. A direção de atores de Webb é muito boa, ainda mais nessa parte romântica. Outro que merece destaque é Martin Sheen como Tio Ben que consegue dar força ao personagem. O resto do elenco está bem, mas Sally Field como Tia May foi totalmente subaproveitada.
O resultado é um filme bastante regular que talvez se não tivesse existido o filme de 2002 (e as 2 sequências) ele pudesse até funcionar melhor e quem sabe ser até divertido se os problemas de fidelidade aos quadrinhos fosse relevado.
Postar um comentário