propaganda

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros

Título Original: Abraham Lincoln: Vampire Hunter (EUA , 2012)
Com: Benjamin Walker, Dominic Cooper, Mary Elizabeth Winstead, Anthony Mackie, Rufus Sewell e Marton Csokas
Direção: Timur Bekmambetov
Roteiro: Seth Grahame-Smith
Duração: 105 minutos 

Nota: 2 (regular)

A idéia do filme “Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros” é interessante ao tentar misturar o lado histórico do famoso presidente americano Abraham Lincoln com a ficção dos vampiros. O autor por trás disso é Seth Grahame-Smith que ficou famoso justamente por causa de uma outra mistura inusitada ao escrever “Orgulho e Preconceito e Zumbis” fazendo paródia do clássico da literatura de Jane Austen. 

Na versão para o cinema o próprio autor adaptou o seu livro. A direção ficou por conta do russo Timur Bekmambetov (O Procurado) e a produção nas mãos de Tim Burton (cujo último filme “Sombras da Noite” teve roteiro escrito por Seth). Esses 2 nomes, principalmente o 2º, já me deixaram curioso pra conferir o filme por mais que ele prometesse ser uma bomba. 

O filme até começa bem ao mostrar um episódio da infância de Lincoln ao mostrar a morte de sua mãe. Então vamos para juventude dele quando ele está em busca de vingança, mas não será tão fácil assim matar o assassino que revela-se um vampiro. Ele irá contar com a ajuda do misterioso Henry Sturges (Dominic Cooper de "Capitão América - O Primeiro Vingador"), que irá treiná-lo a derrotar as criaturas em troca de ajuda no combate as mesmas. 

Essa é a parte mais legal do filme quando Sturges vai passando os alvos que devem ser morto por Lincoln enquanto o personagem começa a se desenvolver. Mas infelizmente esse bom momento não dura muito e na parte final quando temos mais um salto no tempo e nos encontramos com Lincoln mais velho e conhecido da história já como presidente dos EUA a coisa se perde de vez.

O diretor Bekmambetov mostra mais uma vez seu estilo nas cenas de ação ao realizar algumas coisas legais, outras nem tanto, pelo menos rendendo alguns momentos de diversão. Mas o filme erra feio na tentativa de misturar momentos históricos com ficção se levando a sério demais e isso estraga o filme que poderia ter sido pelo menos legal.

Fica difícil entrar na onda do filme quando vemos a guerra civil dos EUA do norte contra o sul ser na verdade um confronto entre Lincoln e o chefe dos vampiros chamado Adam (Rufus Sewell de "O Turista"). Tudo bem, você até tentar abstrair afinal de contas você resolveu assistir o filme já sabendo do título, mas aí também não da pra saber que a trama realmente tenta mesclar os fatos históricos de maneira tão séria e dramática, que no final das contas acaba soando artificial, sem graça, absurda e risível. 
Considerando os nomes envolvidos até que o resultado poderia ter sido mais legal, mas apesar de alguns poucos bons momentos o resultado final é bastante irregular.
Postar um comentário