propaganda

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Atividade Paranormal 4

Título Original: Paranormal Activity 4 (EUA, 2012)
Com: Katie Featherston, Kathryn Newton, Matt Shively, Brady Allen, Alisha Boe e Tommy Miranda
Direção: Henry Joost e Ariel Schulman
Roteiro: Zack Estrin
Duração: 95 minutos

Nota: 3 (bom)

Atividade Paranormal 4” prova que apesar da fórmula criada pelo 1º filme da franquia já está soando um pouco forçada e repetitiva, ela continua funcionando de alguma forma. Filme consegue ir construindo o clima de tensão e aumentando os sustos aos poucos até o clímax no final.

Mais uma vez foi feita uma votação via Internet através de um aplicativo no Facebook chamado “DESEJAR” (“Want It”) e as 25 cidades que tiveram mais votos ganharam uma pré-estréia exclusiva do filme 3 dias antes da estréia que acontece na sexta dia 19 de Outubro no mundo todo. Dentre elas tivemos 3 brasileiras: São Paulo (2º), Brasília (5º) e Rio de Janeiro (13º). 

Fui conferir a sessão de Brasília numa sala cheia e como falei no início do texto, a reação do público mostra que a fórmula ainda funciona. No começo as pessoas ainda dão risada dos sustos, mas aos poucos o silêncio e a tensão vão aumentando.

A trama do filme sempre é misteriosa e para não estragar muito irei falar bem pouco. A grande novidade é que dessa vez a história não volta mais no tempo. Os eventos se passam após o ocorrido no 1º filme. Então finalmente iremos descobrir o que houve com Katie. 

Temos uma nova família formada por 4 pessoas (pai, mãe, filha adolescente e filho criança) e um garoto vizinho misterioso (da mesma idade do filho da família) que vai passar uns dias com eles. É quando a “atividade” começa. A premissa é meio absurda, mas depois você acaba relevando.

Achei legal como tem um pouco de “crítica” em relação ao estilo de vida das famílias americanas e como a tecnologia ajuda a afastá-los dos problemas da família em si. Os pais ausentes que não enxergam os problemas do casamento e dos filhos. Tanto que parece ser a filha a única a exergar os problemas da “atividade”. Algo parecido com o 1º filme, que no caso mostrava o problema de um relacionamento a 2. Obviamente que isso misturado com filme de terror.

Como a trama se passa em 2011 então a novidade em relação as filmagens são o uso da tecnologia. Tudo é filmado com celular, filmadora e webcams de notebooks. Tem também o uso do Kinect da Microsoft, mas não vou explicar o motivo para não peder a graça. O filme usa dos mesmos truques e elementos dos 3 filmes anteriores. Dessa vez tem até umas referências pop interessantes a outros filmes de terror como o clássico “O Iluminado”. 
A franquia começa a caminhar mais no caminho voltado para fãs, mas sem deixar o público em geral na mão. A fórmula continua funcionando na tela e se fizer o mesmo na bilheteria com certeza teremos um novo filme no próximo ano. A deixa para ele foi dada, vamos ver o resultado.
Postar um comentário