propaganda

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Detona Ralph

Título Original: Wreck-it Ralph (EUA , 2012)
Com as vozes de: John C. Reilly, Jack McBrayer, Jane Lynch, Sarah Silverman e Mindy Kaling
Direção: Rich Moore
Roteiro: Phil Johnston e Jennifer Lee
Duração: 108 minutos


Nota: 5 (excelente)

Enquanto Hollywood ainda não consegue fazer uma adaptação decente de um jogo de videogame, a Disney conseguiu fazer um excelente filme sobre o tema que ainda por cima é uma grande homenagem ao mundo dos games. “Detona Ralph” lembra um pouco o universo de Toy Story, mas aqui os personagens dos jogos “ganham vida” quando não estão sobre a vista dos jogadores. Mas não pense numa simples “imitação barata”, o filme é uma grande aventura que consegue ser criativa, divertida e até mesmo emocionante e tocante sem soar piegas.

A história gira em torno de Ralph, um personagem de um jogo chamado “Conserta Félix” no qual ele é o vilão. Já se passaram 30 anos da criação do jogo e Ralph cansou de ser o malvado da história. Faz até terapia junto com outros vilões clássicos dos games numa das melhores cenas do filme. Ele resolve então tentar mudar e conseguir provar para os outros personagens do seu jogo que também pode ser um herói. Aí ele segue em busca de algum outro jogo no qual possa ganhar uma medalha.

O filme poderia muito bem se perder nas referências ao mundo dos games ou simplesmente se resumir a isso. Mas felizmente ele consegue criar um trama muito interessante que vai além disso. Claro que nem por isso não poderia desperdiçar a chance de se divertir com muitos personagens clássicos desse mundo.

O visual é uma das coisas que chama bastante a atenção por ser excelente. Existem basicamente 3 cenários que vão da homenagem aos games antigos no caso do “Conserta Félix” que lembra bastante o clássico Donkey Kong, passando por um jogo de guerra mais realista que homenageia os jogos atuais, e um que fica no meio termo chamado “Candy Rush” que lembra um Mario Kart mais infantil e onde se passa a maior parte da história.

O roteiro consegue muito bem amarrar todos os elementos apresentados na história, como criar alguns conceitos como “bug” ou “virar turbo” que são bem explicados, adicionando ótimas referências, construindo assim um excelente universo numa trama que consegue ser, como falei no início, bem divertida, cheia de aventura e ainda ser tocante sem ser piegas. Uma tarefa nada fácil cumprida de maneira excelente.

O resultado é um excelente filme que consegue agradar todas as idades e até mesmo aqueles que não são fãs do mundo dos games, mas esses com certeza terão um prazer a mais ao conhecer esse universo com as ótimas referências ao mundo dos games. Não vou nem contar quem aparece para não estragar as surpresas.
Postar um comentário