propaganda

sábado, 13 de abril de 2013

The Girl

Título Original: The Girl (EUA, 2012)
Com: Toby Jones, Sienna Miller, Penelope Wilton, Imelda Staunton, Candice D'Arcy, Carl Beukes e Conrad Kemp
Direção: Julian Jarrold
Roteiro: Gwyneth Hughes
Duração: 91 minutos


Nota: 3 (bom)

Alfred Hitchcock é mais uma vez tema de um filme em “The Girl”, produção da HBO que explora a relação entre o diretor e a atriz Tippi Hedren, estrela de “Os Pássaros” (1963) e “Marnie - Confissões de uma Ladra” (1964).

Para quem assistiu o filme “Hitchcock” lembra que no final ele fala que seu próximo projeto seria “Os Pássaros”, então pode até considerar esse filme da HBO uma especie de continuação da história do diretor.

A trama é baseada no livro "Spellbound by Beauty: Alfred Hitchcock and His Leading Ladies" de Donald Spoto que fala sobre a relação do diretor e as várias mulheres que estrelaram seus filmes.

Aqui a visão sobre o diretor é bem diferente da que é conhecida. Iremos conhecer um lado mais “assustadora” dele. Ele é um homem sádico, insatisfeito sexualmente, pervertido, asqueroso, um gordo safado que usa seu poder como diretor para manipular e tentar tirar proveito das pessoas. Mais especificamente da atriz Tippi Hedren.

Ela era uma modelo e foi apresentada a Hitchcock por sua esposa Alma que tinha visto-a num comercial de TV. Ele gostou tanto dela que resolveu apostar na desconhecida para protagonizar seu filme e torná-la uma estrela. Começa aí uma relação profissional que acaba virando uma obsessão dele por ela a ponto até de tentar beijá-la a força. Rejeitado ele começa a tentar mostrar pra ela quem é que manda e que ela deve a ele sua carreira.

Numa determinada cena de ‘Pássaros’ a atriz é atacada por pássaros e em cima da hora o diretor resolve colocar animais de verdade e faz com que a cena seja repetida mais de 40 vezes. Tippi saiu do set machucada e teve uma crise que a afastou das filmagens por um tempo.

Esse episódio retrata mais ou menos o que o filme que mostrar, ou seja, esse lado mais obscuro e negro do diretor. Obviamente que essa visão causou muita polêmica, mas a própria Tippi aprovou o roteiro.

Mas considerando um tema complexo e interessante que era a relação entre o diretor e a atriz, o filme deixa um pouco a desejar. Mostra a coisa muito superficialmente. Sem dúvidas poderia ter explorado melhor a questão. O elenco faz bem a sua parte e tanto Toby Jones (Hitchcock) e Sienna Miller (Tippi) estão bem em seus respectivos papéis.

No final fica a questão quanto é verdade e o quanto de “liberdade” foi tomada na hora de se contar essa história. O roteiro supostamente foi baseado em extensa pesquisa com entrevistas com pessoas da equipe de filmagem do diretor e da própria Tippi. Fica aí mais um “mistério” em torno da vida de Hitchcock.
Postar um comentário