propaganda

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Casa de Mi Padre

Com: Will Ferrell, Gael García Bernal, Diego Luna, Génesis Rodríguez, Pedro Armendáriz, Jr., Nick Offerman, Efren Ramirez e Adrian Martinez
Direção: Matt Piedmont
Roteiro: Andrew Steele
Duração: 85 minutos

Nota: 3 (bom)

"Casa de Mi Padre" faz uma paródia com as novelas e filmes mexicanos. E a melhor piada do filme é o fato de ser uma produção americana protagonizada por Will Ferrell sendo todo falado em espanhol. O ator passou 1 mês treinando suas falas e se preparando para o papel. Além disso, o que também chama a atenção é o elenco que conta com 2 grandes astros mexicanos: Gael García Bernal e Diego Luna. Então se eles entenderam e resolveram participar da “piada”, então o negócio deve ser interessante.


Se você já assistiu alguma daquelas novelas mexicanas que o SBT exibe diariamente vai entender a piada do filme. Junte isso com o tráfico de drogas, outro “clichê” mexicano, e pronto, temos um filme.


Na trama iremos conhecer Armando Álvarez (Will Ferrell de “Os Candidatos”) que viveu e trabalhou na fazenda do pai a sua vida toda. O lugar passa por dificuldades financeiras, mas seu irmão mais novo Raúl (Diego Luna de Milk - A Voz da Igualdade) reaparece com sua noiva Sonia (Génesis Rodríguez de “O Último Desafio”) como um bem sucedido homem de negócios disposto a resolver os problemas financeiros do pai. Porém Raul esconde a realidade dos seus negócios que envolve uma rixa com um traficante que domina a região chamado Onza (Gael García Bernal de “No”).

Então teremos espaço para explorar bem os clichês mexicanos. Primeiro a história de amor onde Armando acaba se apaixonando pela mulher do irmão. E depois o tráfico de drogas da guerra entre traficantes.

Talvez o filme pudesse ser mais engraçado, mas as piadas são boas, só não são daquele tipo que vai ter fazer morrer de rir. É algo mais “inteligente” e “sofisticado” ao explorar a tosqueira de forma proposital. Então temos problemas técnicos, defeitos especiais, atuações cafonas e coisas do tipo, tudo feito de maneira a parodiar as produções mexicanas.

Trata-se de uma produção independente e que não tem apelo para o grande público. Ainda mais nos EUA onde eles detestam filmes legendados. Então é muita coragem de Will Ferell se arriscar num projeto desse tipo. Mas isso mostra que ele está disposto a apostar em filmes diferentes e em novas e diferentes maneiras de humor. E isso é bastante válido.

O filme não é “genial” como ele poderia ser, mas tem bons momentos. O mais importante é encará-lo já sabendo do que se trata e qual é a piada. Assim fica mais fácil entrar no clima. Ferrell falando espanhol está ótimo. E também é bacana ver Gael e Diego se divertindo com seus personagens.

O resultado é uma comédia diferente e interessante, que poderia ser mais engraçada, mas que vale a pena arriscar principalmente se você for fã de Will Ferell.
Postar um comentário