propaganda

sexta-feira, 26 de julho de 2013

O Concurso

Título Original: O Concurso (Brasil , 2013)
Com: Danton Mello, Fábio Porchat, Anderson Di Rizzi, Rodrigo Pandolfo, Carol Castro, Sabrina Sato, Gigante Leo, Oscar Calixto, Pedro Paulo Rangel, Nélson Freitas e Jackson Antunes
Direção: Pedro Vasconcelos
Roteiro: Leonardo Levis e L.G. Tubaldini Jr.
Duração: 101 minutos

Nota: 1 (ruim)

A comédia nacional “O Concurso” tinha até potencial para ser interessante. Conta com um bom elenco e a premissa envolvendo concursos públicos, grande sonho e dor de cabeça de muita gente aqui no Brasil, poderia render boas risadas. Infelizmente não é isso que se vê na tela.


A trama gira em torno de 4 pessoas que chegaram a final do concurso para juiz federal, o mais difícil do país. Temos 4 esteriótipos bem caricatos do Brasil: o malandro carioca (Danton Mello), o nordestino supersticioso (Anderson Di Rizzi), o gaúcho gay enrustido de Pelotas (Fábio Porchat) e o caipira paulistano (Rodrigo Pandolfo). Cada um com suas motivações. Acontece que descobrem que o carioca tem como conseguir o gabarito da prova e todos se juntam numa enorme confusão ao tentar obtê-lo.

O problema é que o roteiro é muito ruim. As piadas são tão sem graça e “popularescas” que fazem programas como “Zorra Total” e “A praça é nossa” serem “excelentes”. Já os personagens são tão caricatos que fica difícil parecerem pessoas “de verdade”. Nada soa convincente ou pelo menos engraçado. Enfim, são muitos problemas. Nada parece funcionar no filme.

Para piorar ainda tentam emular a comédia americana “Se beber, não case” ao mostrar os personagens acordando sem saber o que aconteceu em situações esquisitas e então tentar explicar como eles foram parar ali. Mas ficou muito óbvio e sem graça. Se era para copiar que fizessem direito!

O diretor estreante Pedro Vasconcelos não demonstra muito talento para comédia e não sabe aproveitar o potencial do elenco. Os pouquíssimos momentos engraçados (devo ter dado risada de umas 3 piadas no máximo) envolvem o personagem de Fábio Porchat.
No final o filme ainda tenta dar uma lição de moral. Sem condições! Bom, eu poderia ficar aqui citando muito outros pontos para ilustrar o quão ruim o filme é, mas acho que vocês já entenderam o recado. Forte candidato a pior filme de 2013!
Postar um comentário