propaganda

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Meu Passado Me Condena - O Filme

Título Original: Meu Passado Me Condena - O Filme (Brasil , 2013)
Com: Fábio Porchat, Miá Mello, Inez Vianna, Marcelo Valle, Rafael Queiroga, Juliana Didone e Alejandro Claveaux
Direção: Julia Rezende
Roteiro: Tati Bernardi, Leandro Muniz e Patricia Corso
Duração: 102 minutos


Nota: 3 (bom)

Meu Passado Me Condena - O Filme” parece um capítulo de maior duração do seriado exibido pelo Multishow e estrelado por Fábio Porchat e Miá Mello. Trocou-se apenas a locação: na TV se passa numa pousada e no cinema num cruzeiro. Apesar de não ser muito criativo e seguir as fórmulas e clichês das comédias românticas, o negócio consegue ser divertido principalmente graças ao talento e carisma do casal de protagonistas.

Para quem não conhece o programa a premissa é a seguinte: o casal se conhece e pouco mais de 1 mês de namoro sem se conhecerem direito resolvem se casar. E na lua-de-mel que começam a conhecer mais um ao outro, principalmente os seus casos amorosos anteriores. A premissa do casal que se casa sem se conhecer direito é bem interessante no mundo de hoje onde casais se unem e se separam com enorme facilidade e rapidez.

No filme o casal Fábio e Miá (curiosamente os personagens tem o mesmo nome dos atores) se casa e vai passar a lua-de-mel num cruzeiro com destino a Europa. Mas ao chegar lá eles acabam encontrando um ex-namorado de Miá chamado Beto (Alejandro Claveaux), um ricaço que por acaso é casado com Laura (Juliana Didone), uma mulher que foi colega de colégio de Fábio e ele era apaixonado por ela.

A partir daí vocês já imaginam as situações que podem ocorrer. Ainda tem outros fatores que são 2 funcionários do cruzeiro Suzana (Inez Viana) e Wilson (Marcelo Valle), que na TV são os donos da pousada, que irão tentar se aproveitar do casal, e também Cabeça (Rafael Queiroga), amigo de Fábio que se junta ao casal no meio da viagem.

Como o filme foi filmado em sua grande parte num cruzeiro, o esquema de gravação foi complicado e teve que se adequar a programação da viagem. Os passageiros foram figurantes voluntários e não dava tempo para refilmar alguma cena caso não desse certo. Então o roteiro acaba dando bastante espaço para improvisação do elenco, principalmente do casal protagonista. E com o barulho do navio algumas cenas na área externa tiveram que ser dubladas pelos atores.

No final das contas apesar dos problemas e da falta de originalidade e ousadia, o negócio funciona por ter momentos bem engraçados e divertidos graças ao carisma principalmente do casal de protagonistas.
Postar um comentário