propaganda

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Blue Jasmine

Título Original: Blue Jasmine (EUA , 2013)
Com: Cate Blanchett, Sally Hawkins, Alec Baldwin, Bobby Cannavale, Peter Sarsgaard, Andrew Dice Clay, Louis C.K., Annie McNamara, Daniel Jenks, Michael Stuhlbarg e Alden Enrehreich
Direção e Roteiro: Woody Allen
Duração: 98 minutos


Nota: 4 (ótimo)

Chegou a hora do encontro anual com o diretor Woody Allen e mais uma vez ele entrega um ótimo trabalho. Em “Blue Jasmine” ele volta aos Estados Unidos para nos apresentar uma de suas personagens mais chatas, e nem por isso interessante e carismática, chamada Jasmine que é interpretada com maestria por Cate Blanchett.

Jasmine está saindo de Nova York para ir morar com a irmã Ginger (Sally Hawkins) em São Francisco após ter perdido tudo com a prisão do ex-marido Hal (Alec Baldwin). Ambas são adotadas e são totalmente diferentes seja fisicamente quanto no estilo de vida. Enquanto Jasmine era rica e vivia em grande estilo em NY, Ginger é mais humilde e vive uma vida simples.

O interessante do filme é a narrativa que fica alternando entre o presente e o passado em flashbacks para explicar como era o estilo de vida de Jasmine e como ela foi parar no estado atual tentando tomar um rumo na vida e se recuperar de um colapso nervoso após ter perdido tudo. O legal é que aparentemente é fácil entender o passado da personagem, mas essas voltas no tempo reservam boas surpresas.

O filme segue o tom de drama com leves toques de comédia bem ao estilo de Allen. A personagem Jasmine é totalmente neurótica, característica marcante dos personagens criados pelo diretor.

O elenco é um dos destaques do filme, mas sem dúvidas é Blanchett quem brilha a maior parte do tempo como a protagonista. Ele constrói a personagem de maneira excelente e faz com que nos simpatizemos com Jasmine por mais chata e irritante que ela seja enquanto espalha sua tristeza na vida da irmã.

O resultado é mais um ótimo filme de Allen que faz um retrato bem interessante de uma personagem bastante humana, tanto no bom quanto no pior sentido, interpretada de maneira excelente por Blanchett. O diretor mostra mais uma vez que consegue manter sua regularidade mesmo fazendo 1 filme por ano.
Postar um comentário