propaganda

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Boyhood - Da Infância à Juventude

Título Original: Boyhood (EUA , 2014)
Com: Ellar Coltrane, Patricia Arquette, Ethan Hawke, Lorelei Linklater, Marco Perella, Jamie Howard, Andrew Villarreal, Barbara Chisholm, Cassidy Johnson, Landon Collier, Zoe Graham e Charlie Sexton
Direção e Roteiro: Richard Linklater
Duração: 163 minutos

Nota: 5 (excelente)

O diretor Richard Linklater é um gênio! Eu precisava começar meu texto sobre “Boyhood - Da Infância à Juventude” desse jeito. Ele conseguiu transformar algo comum que a vida e crescimento de um garoto num filme sensacional. Alias, é mais do que um simples filme. Está mais para uma experiência. Afinal de contas ele demorou 12 anos para fazer o filme. 


Dessa forma iremos acompanhar um pouco da vida de um garoto interpretado pelo ator Ellar Coltrane. Ao longo do filme iremos acompanhar 12 anos de sua vida e acompanhar seu crescimento. A cada ano o diretor juntava o elenco e filmava por volta de 4 dias. Ninguém do elenco tinha um contrato, então caso desistissem o projeto seria cancelado. Felizmente Coltrane não desistiu e levou a ideia até o fim. Quem quase desistiu foi Lorelei Linklater. Ela é filha do diretor e faz a irmã do personagem de Coltrane. Felizmente seu pai conseguiu convencê-la a não desistir. 

De nomes conhecidos no elenco temos Patricia Arquette e Ethan Hawke, este último inclusive já vem de experiência um pouco parecida com mesmo Richard Linklater. Eles fizeram “Antes do Amanhecer”, “Antes do pôr-do-sol” e “Antes da meia-noite”, onde Hawke e a atriz Julie Delpy repetem os mesmos personagens em intervalo de tempo de 9 anos.
A ideia do filme é muito boa e lembra um pouco uma reunião de videos de família. Mas o diretor conseguiu criar uma história mostrando os momentos mais marcantes da vida do garoto. E tudo do ponto de vista dele, então nem sempre iremos saber os detalhes e desfechos de determinados momentos.

A passagem de tempo é feita de maneira bem sutil, então para facilitar a identificação dela é bom prestar atenção nas referências pop, principalmente as músicas. A seleção inclusive é muito boa. Mas é bom reparar também nos objetos como computadores e celulares para acompanhar a evolução da comunicação.

Após quase 3 horas de duração é impressionante ver como o tempo passa rápido. Quando a gente menos percebe a voz de Ellar Coltrane já mudou, ele já tem até um pouco de barba. É como a própria vida. Quando a gente menos vê já estamos mais velhos e as pessoas ao nosso redor também. E o filme consegue “emular” isso de maneira excelente. Talvez uma boa expressão para definir o filme seja: o tempo voa ou então o tempo passa rápido.

Obviamente que o resultado final não teria dado certo se não fosse pelo elenco. Aí vale citar mais uma vez o nome de Ellar Coltrane. Seu carisma e talento são ótimos. E ele teve a liberdade de colocar algumas coisas pessoais em seu personagem com o gosto por fotografia. O resto do elenco também é muito bom, principalmente Patricia Arquette e Ethan Hawke.
Com o sucesso do filme, principalmente de crítica (favorito nas principais premiações) o diretor Richard Linklater já pensa até em algum tipo de continuação. Será que em 12 anos iremos descobrir o que houve com o personagem? Vamos aguardar...

Obs: Infelizmente a Universal Pictures Brasil não apostou no potencial do filme e o lançou no país em poucas cidades em circuito reduzido, começando por São Paulo e Rio de Janeiro. Uma pena, pois aqui em Brasília até a data dessa postagem o filme não entrou em cartaz.
Postar um comentário