propaganda

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Kurt Cobain: Montage of Heck

Título Original: Kurt Cobain: Montage of Heck (EUA, 2015)
Direção e Roteiro: Brett Morgen
Duração: 132 minutos

Nota: 4 (ótimo)

O documentário “Kurt Cobain: Montage of Heck” é o primeiro filme sobre o vocalista do Nirvana feito totalmente com permissão da família do músico. Isso só aconteceu porque Frances Bean Cobain, filha de Kurt, estava envolvida na produção. O diretor Brett Morgen fez um longo trabalho de pesquisa no arquivo pessoal de Cobain para o filme. Ele entrevistou apenas pessoas próximas como o pai, a mãe, ex-namorada, ex-mulher (Courtney Love) e o ex-companheiro de banda Krist Novoselic (baixista do Nirvana). 


Sem dúvidas uma entrevista que fez falta foi com Dave Grohl, ex-baterista do Nirvana e atualmente líder do Foo Fighters. Morgen falou que não conseguiu encontrar espaço na agenda de Grohl que estava ocupado com o documentário e disco “Sonic Highways”. Quando ele ficou disponível o diretor achou que o filme já estava pronto e não precisava de mais material.

O filme foi produzido em parceria com a HBO americana para ser exibido na televisão, mas antes ele foi exibido no cinema em alguns lugares. Felizmente aqui no Brasil também tivemos exibição e eu consegui assistir.

Durante o tempo do sucesso do Nirvana a relação de Kurt Cobain com a imprensa era complicada. Sem dúvidas ele não estava preparado para ser famoso. Mas obviamente que o cerco da imprensa em cima dele também não era nada saudável.
Como o próprio Morgen fala em entrevista exibida após o documentário, o objetivo do filme é tentar explorar um pouco o que se passava na cabeça de Cobain. Tipo uma atração de um parque como a Disney cuja o tema seria a vida do músico. Ele mistura videos íntimos da família com entrevistas para tentar recriar o mundo “perturbado” de Kurt. Os videos dele com Courtney são os mais curiosos e mostram que realmente ele gostava muito dela. Mas se esses são os videos que ela liberou serem exibidos, imaginem o resto? Quem assistir o filme vai entender o que eu estou falando.

O mais interessante foi ele ter achado uma fita K7 chamada Montage of Heck, que acabou dando título ao filme, com alguns depoimentos de Kurt falando sobre sua vida intercalados com músicas. Então Morgen contratou uma empresa para fazer uma animação com esses trechos da vida de Cobain narrados pelo próprio. É um pouco “assustador”, mas é uma chance de conhecer o lado mais pessoal do músico.
Sem dúvidas o filme é feito pensando nos fãs que tem interesse em saber um pouco mais sobre o lado pessoal de Kurt Cobain e tentar entender o que se passava na cabeça dele e o que o teria levado a se suicidar. Se você quiser saber mais sobre a carreira e a parte musical esse documentário não é recomendado.
Postar um comentário