propaganda

quinta-feira, 29 de julho de 2004

Brilho Eterno de uma mente sem lembranças

Ontem eu fui assistir ao sensacional filme "Brilho Eterno de uma mente sem lembranças". Antes de falar do filme deixe-me fazer algumas afirmações.

1ª - Charlie Kaufman é um gênio! Seus roteiros são sempre geniais.

2ª - Jim Carrey devia fazer mais filmes "sérios". Ele é um grande ator mas fica perdendo tempo e ganhando mais dinheiro fazendo aquelas comédias trash. Acho que ele já passou dessa fase.

Mas vamos ao filme. Joel (Jim Carrey) descobre que sua namorada Clementine (Kate Winslet) fez um tratamento para apagar de sua mente as memórias dele. Então ele resolve se submeter ao mesmo tratamento. Mas no meio do tratamento ele resolve mudar de idéia. Então é que começa o jogo de "gato e rato" dentro do seu cérebro. Ele tentando fugir levando junto alguma memória Clementine.

Achou meio louco? Pode ter certeza que é. Só podia ter saído da mente do brilhante Charlie Kaufman (é bom falar mais uma vez dele).
Mas e aí, será que vale a pena apagar essas memórias "ruins"? Acho que não procede. A graça da vida é lembrar desses bons e maus momentos e sempre aprender com seus erros e acertos. Filosófico não? Nossa, eu podia escrever um livro de auto-ajuda depois desse texto...

Alguns poderiam classificar o filme como "cabeça", "cult" ou algo do tipo. Eu acho que não procede.
Postar um comentário