propaganda

terça-feira, 8 de março de 2005

Ladrão de Diamantes

Esse fim de semana fui assistir ao filme “Ladrão de Diamantes”. A primeira coisa que irei falar sobre ele é sobre o título em português. O título original em inglês é “After the sunset”, que traduzindo vira “Depois do pôr-do-sol”. Mas como os distribuidores acham que o público brasileiro é “burro”, então é melhor colocar um título mais “comum” e que seja mais obvio sobre o que se trata o filme. Acaba sendo uma enganação, pois o filme apesar de ter o tema de roubos do diamantes como premissa inicial, este acaba virando apenas o pano de fundo para uma comédia. Isto é, você vai assistir ao filme com esse título achando que é um “filme de roubo” e na verdade não é.

O diretor desse filme é Brett Ratner, que tem uma filmografia sem um estilo muito definido que passa por filmes “sérios” como “Dragão Vermelho” e também por comédias misturadas com ação dos dois filmes “A Hora do Rush”. Esse filme tenta ser uma mistura de filme de roubo tipo “11 homens e um segredo” com a comédia de “A Hora do Rush”, já que temos uma nova dupla formada por Pierce Brosnan (o ladrão) e Woody Harrelson (o policial). Só sem o estilo e a sutileza de 11 homens e sem a mesma química existente entre os protagonistas de Hora do Rush.

Na história, Max (Pierce Brosnan) realiza seu ultimo roubo e resolve se aposentar junto com sua namorada Lola (Salma Hayek) em uma ilha paradisíaca. Claro que o agente Stanley (Woody Harrelson) vai atrás dos dois na ilha. Um navio que tem em exposição um diamante de Napoleão (o único que Max não roubou) chega à ilha. Será que Max vai conseguir ficar sem roubá-lo em nome do seu casamento e aposentadoria ao lado de Lola? Eis que começa o jogo entre eles, que acaba envolvendo também uma policial e um bandido local (interpretado por Don Cheadle).

No final das contas acaba sendo um filme totalmente sem compromisso, que tenta priorizar a diversão, mas que não define bem como uma comédia e muito menos como um filme de roubo. Ele também ainda peca em tentar ter muitas reviravoltas e surpresas no final, que acabam soando meio forçadas. Um bom elenco e um bom diretor totalmente desperdiçados.



Engraçado como o ator Pierce Brosnan desistiu de fazer filmes de 007 para fazer esse tipo de filme. Tudo bem que ele queira fazer filmes diferentes, mas esse papel de “bandido esperto” ele já fez em outros filmes como “Thomas Crown”. Ou então entender como Salma Hayek depois de ter sido indicada ao Oscar pelo filme “Frida”, aceita um papel desse em que sua personagem por mais que ela tente desenvolvê-la dramaticamente acaba servindo apenas para mostrar o seu lindo corpo em trajes mínimos e em vários closes. “Show me the money!”.
Postar um comentário