propaganda

domingo, 27 de março de 2005

O Chamado 2


Título Original: The Ring Two (EUA, 2005)
Com: Naomi Watts, Simon Baker, David Dorfman, Elizabeth Perkins, Gary Cole, Sissy Spacek, Ryan Merriman, Emily VanCamp, Kelly Overton, James Lesure, Daveigh Chase e Kelly Stables
Direção: Hideo Nakata
Roteiro: Ehren Kruger
Duração: 117 minutos

Depois do sucesso do filme “O Chamado”, o terror japonês virou moda. Não demorou para aparecer outros filme importados de lá como “O Grito”. E claro, a continuação “O Chamado 2” era inevitável, ainda mais que também uma continuação da versão japonesa (e também um prelúdio, isto é, um chamado zero).


O diretor do primeiro filme Gore Verbinksi caiu fora dessa continuação depois do sucesso de outro filme feito por ele que também irá ganhar continuação, “Piratas do Caribe”. Para o seu lugar foi importado do Japão o diretor e criador da versão japonesa do filme, Hideo Nakata.

A atriz Naomi Watts e o ator David Dorfman estão de volta nos papéis de mãe e filho do filme original. Seis meses depois dos acontecimentos do primeiro filme (esta informação não está no filme), eles se mudaram para uma cidade pequena em busca de paz. Mas não demora muito para que Samara reapareça e o terror comece novamente.

O grande problema desse novo filme é a história. A trama do primeiro filme é praticamente esquecida. A investigação feita no primeiro filme para se descobrir o que estava por trás da fita e também os motivos que levavam a menina Samara a perseguir as pessos são ignorados e novos motivos foram criados. A coisa de assistir a fita, 7 dias, e outras coisas do primeiro filme parecem não ter servido para nada.

O grande lance do primeiro filme era a coisa do clima de suspense e terror para descobrir o que estava acontecendo, a coisa do terror sugerido.

Isso não existe nesta continuação, o filme acaba usando sustos fáceis (e muito poucos por sinal) e uma história totalmente bizarra que também acaba sendo bastante previsível. Isto é, depois de meia hora de filme de acontecimentos sem explicação, quando a tal explicação começa a aparecer, talvez tivesse sido melhor continuar sem explicação. A única coisa mantida do filme original é o visual.
Postar um comentário