propaganda

sábado, 20 de agosto de 2005

A importância de ser Prudente

Acho que essa vai ser a primeira vez que eu falo sobre uma peça de teatro aqui no blog. Na verdade eu nunca fui muito fã de teatro, ou melhor, eu nunca gostei de teatro. Eu posso citar muitas causas pelas quais nunca gostei, talvez a principal seja a falta de interesse pelas peças apresentadas aqui na cidade. Não que elas sejam ruins, o problema é a simples falta de interesse pelas temáticas. Algumas “maduras” demais, e outras “comédias” demais. Eu nunca gostei do “humor baiano”. Mas vamos esquecer esse papo, pois hoje irei comentar pela primeira vez sobre uma peça.

A peça se chama “A importância de ser Prudente” e é adaptada da obra de Oscar Wilde pelo grupo de teatro independente chamado “Os Bumburistas”. O grupo é formado por jovens e tem a direção de Andréa Elia.

Quem faz parte do grupo é Renata Azevedo (ou Renatinha para os mais próximos). Para quem não lembra, ela já foi entrevistada aqui no blog (inclusive foi a única entrevista até agora) falando sobre seu grupo de sapateado. Como podem ver, a menina é cheia de talentos e faz várias atividades “extracurriculares”.

A história se passa no século 19 e conta a história dos encontros e desencontros de dois casais apaixonados e as armadilhas e situações cômicas que as mentiras produzem. Interesses, casamentos, arranjos financeiros, mesquinharia e humor compõem o espetáculo.

Como o número de personagens é “escasso”, quase todos os personagens acabam sendo interpretados por dois atores. Isso é bastante curioso, principalmente em determinado momento da peça em que eles atuam juntos. Isso acaba levando a inevitável comparação entre as atuações de pessoas diferentes do mesmo papel. Em alguns é possível ver a diferença entre a qualidade da atuação dos atores. Isto é, um ator está melhor no papel do que o outro. Mas isso não chega a comprometer o espetáculo.

Renata interpreta Gwendolen Fairfax, dividindo o papel com Luciana Matos. Os trejeitos incorporados por ela a personagem são bem interessantes e ela acaba se destacando mais do que seu colega. Mas ambas estão bem no papel.

Outro ponto interessante da peça é o figurino, que também ficou responsável por Rentata junto com Júlia Assis e Thais Barreto como assistentes (que também fazer parte do grupo e atuam na peça). As roupas de época são bem legais e também os pequenos elementos do cenário como poltronas, copos, entre outros.

Para quem gosta do humor inglês e principalmente da obra de Oscar Wilde a peça vai agradar em cheio. Ela está em cartaz no Teatro Molière (Aliança Francesa) na Ladeira da Barra nos dias 24 e 25 de Agosto (quarta e quinta) a partir das 20 horas. O ingresso custa R$ 6,00 (meia) e R$ 12,00 (inteira).

Para quem se interessar em entrar para o grupo e ter aulas de teatro, informações com Andréa Elia nos telefones (71) 9117-8119 / 32354257 ou pelo e-mail deaelia@hotmail.com . Início das turmas em Setembro.

Mais informações sobre a peça no link: http://www.afbahia.com.br/2005_08_teatro2.html



Postar um comentário