propaganda

quinta-feira, 2 de março de 2006

Ponto Final – Match Point

Sorte! Já pensou o quanto da sua vida depende dela? É essa a temática que o diretor Woody Allen apresenta em seu novo filme “Ponto Final – Match Point”.

Muito vinha se falando sobre a sua carreira, que seus últimos filmes não eram tão bons e seu futuro criativo vinha sendo questionado. Com uma média de um filme por ano, ele sempre conseguiu manter a média e fazer bons filmes. Geralmente ele costuma protagonizar suas histórias, mas dessa vez ele ficou somente atrás das câmeras e escreveu o roteiro. Inclusive o roteiro está concorrendo ao Oscar por melhor roteiro original.

Woody sai de Nova York e vai para Londres, mas segundo ele isso foi totalmente por acaso. A história poderia se passar em qualquer cidade do mundo, mas os produtores resolveram fazer o filme lá. O elenco é formado por ingleses, com exceção da atriz americana Scarlett Johansson, que é o nome mais conhecido. Completam o elenco Jonathan Rhys Meyers, Brian Cox, Mathew Goode e Emily Mortimer.

Na trama, Chris Wilton (Meyers) é um jovem tenista irlandês que se muda para Londres para dar aulas de tênis. Ele acaba conhecendo Tom Hewett (Goode), um jovem da alta sociedade inglesa. Eles acabam ficando amigos e Chris conhece a irmã de Tom, Chloe (Mortimer), e a sua noiva, Nola Rice (Johansson). Chis acaba se envolvendo com a irmã de Tom, mas não consegue segurar sua tentação por Nola. Nesse jogo de relacionamentos, muita coisa vai acontecer, e muitas surpresas.

Os diálogos são sempre a marca registrada dos filmes de Allen, sempre inteligentes e com um humor característico. Esse filme tem um tom meio de tragicomédia, que poderia lembrar uma ópera, que inclusive tem referência dentro do filme. Outra referência seria ao estilo dos filmes de Alfred Hitchock, com o mistério e a tensão da segunda parte do filme. Falar mais sobre isso poderia estragar as surpresas. Quem irá vencer “a partida” no final? Só indo ver para saber.

Parece que a saída de Nova York fez com que Allen mudasse um pouco seu estilo, sem perder suas principais características. Os ares de Londres acabaram fazendo muito bem, e o resultado pode ser sentido no filme. Com certeza esse é um de seus melhores filmes. E o seu próximo filme chamado “Scoop” vai ser feito em Londres novamente.
Postar um comentário