propaganda

terça-feira, 6 de março de 2007

A Rainha

Título Original: The Queen (2006)
Elenco:Helen Mirren, Michael Sheen, James Cromwell, Sylvia Syms, Alex Jennings, Helen McCrory, Roger Allam e Tim McMullan
Diretor: Stephen Frears
Duração: 100 minutos


Em 1997 a princesa Diana morreu em um trágico acidente de carro tentando fugir dos paparazzi que não cansavam de persegui-la. A reação em todo o mundo, principalmente na Ingalterra, foi bastante calorosa. Pouco antes o primeiro-ministro Tony Blair tinha acabo de ser eleito.

No filme “A Rainha”, o diretor Stephen Fears junto com o roterista Peter Morgan dão uma visão dos bastidores da família real durante a semana que seguiu da morte até o enterro da princesa. O resultado é uma visão bastante realista e íntima, personificado em maior escala na figura da rainha Elizabeth 2ª, interpretada de maneira espetacular pela atriz Helen Mirren, que merecidamente ganhou o Oscar de melhor atriz.

A história mostra todo o jogo de cena entre a família real e o novo primeiro ministro Tony Blair. A família resolve não prestar honrarias a princesa por ela não fazer mais parte da realeza e continuar em sua casa de campo no interior da Escócia sem fazer nenhuma manifestação. Mas aos poucos a calorosa homenagem da população a princesa começa a fazer efeito na mídia que cobra da família real uma manifestação de condolência a princesa. Quem sai ganhando é Blair que fica no papel de amenizar a situação e começa a ganhar popularidade, enquanto a monarquia perde um pouco da sua imagem.

O filme mostra o quanto essa morte mudou a visão da família real pois eles tiveram que lidar com a enorme popularidade da princesa Diana, que não era muito querida por eles. E mostra também o lado pessoal e das tradições da realeza em tentar resolver as coisas da melhor maneira possível, pelo menos na visão das tradições da monarquia. Acompanhamos um pouco da vida cotidiana da rainha e com essa nova visão fica mais fácil saber o que aconteceu e seus motivos para ter feito o que fez.

A atuação de Mirren com certeza é o grande destaque do filme. Ela consegue mostrar a imagem da rainha de maneira bastante real, sem acabar caindo numa interpretação caricata baseada apenas na imitação dos trejeitos corporais. Ela realmente dá um show de interpretação.

Ao juntar atores interpretando personagens reais com algumas imagens também reais, o filme acaba ganhando um aspecto meio de documentário. Mas essa foi uma escolha acertada para dar a história um realismo ainda maior, ao misturar imagens reais da princesa e da televisão da época com a interpretação dos atores e suas reações aos fatos reais. Isso faz com que o filme se torne ainda mais interessante.
Postar um comentário