propaganda

segunda-feira, 3 de março de 2008

Rambo IV

Título Original: Rambo (2008)
Com: Sylvester Stallone, Julie Benz, Matthew Marsden, Graham McTavish, Reynaldo Gallegos, Jake La Botz, Tim Kang, Maung Maung Khin, Paul Schulze, Kasikorn Niyompattana e Shaliew Manrungbun
Direção: Sylvester Stallone
Roteiro: Sylvester Stallone e Art Monterastelli
Duração: 91 minutos


Nota: 3 (bom)

Após a bem sucedida retomada da sua carreira com “Rocky Balboa”, Sylvester Stallone continua com a ressurreição dos seus papéis mais marcantes no cinema. O próximo da fila era John Rambo, vinte anos após o último filme da série.

Rambo foi um personagem que marcou os anos 80 e criou um novo gênero no cinema, os filmes de guerra de um homem só. O sucesso foi tanto que até uma versão em desenho animado foi criada, que talvez tenha marcado a infância dessa geração mais até que os filmes. Houve até a famosa batalha entre o SBT, exibindo o Rambo 1 enquanto a Globo exibia o segundo.

Duas coisas fazem falta inicialmente em “Rambo IV”. Primeiro é a trilha sonora composta por Jerry Goldsmith, falecido em 2004. Ele foi o criador da famosa música tema do personagem. A outra é a presença do ator Richard Crenna, falecido em 2003, em seu papel mais famoso como o coronel Trautman.

Stallone assume a direção e também participou do roteiro já que ele se envolveu também nos outros filmes da série. Afinal de contas ele conhece o personagem melhor do que ninguém era mais fácil ele mesmo dirigir do que tentar explicar a algum diretor o que ele queria.

A história do personagem e seus dramas são contados no primeiro filme. Nos outros a estrutura é basicamente a mesma. Rambo está na dele e alguém o chama para resgatar alguém e/ou resolver algum problema. É o que acontece nessa quarta parte. Ele está vivendo na Tailândia na tranqüilidade como piloto de barco. Acaba transportando um grupo de missionários para a Birmânia e depois é chamado para levar um grupo de mercenários ao local para resgatar o grupo.

O que todos esperam de um filme desse tipo são as cenas de ação, guerra, morte, tiroteios e explosões. É exatamente nessa parte que o filme cumpre o que promete. Aqui em um tom mais realista que os antecessores (menos o primeiro), já que Rambo não está lá sozinho resolvendo tudo. A violência é mostrada de maneira bastante real, sem poupar o público de muito sangue.

Inclusive o filme foi criticado por ser o mais violento da série e pela violência ser muito exagerada. Não concordo nesse ponto já que o objetivo do filme era tentar de alguma forma ser realista, pelo menos nesse ponto. Em filmes como “O resgate de soldado Ryan” ninguém reclamou disso, por que reclamar agora?

O resultado é um filme bacana, com tudo para agradar os fãs do personagem, que ainda ganha um final bastante interessante. Será esse o último filme da série? Espero que sim, já está mais do que na hora dele se aposentar junto com Rocky. Quanto a aposentadoria de Stallone, pelo jeito ele agora está cheio de projetos. Vamos ver qual o próximo filme que vai chegar às telas.
Postar um comentário