propaganda

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal

Título Original: Indiana Jones and the Kingdom of Crystal Skull (2008)
Com: Harrison Ford, Cate Blanchett, Karen Allen, Shia LaBeouf, Ray Winstone, John Hurt e Jim Broadbent
Direção: Steven Spielberg
Roteiro: David Koepp, George Lucas, Jeff Nathanson
Duração: 124 minutos


Nota: 5 (excelente)

Em 1989 eu tinha apenas 8 anos e meu pai me levou para assistir a estréia de “Indiana Jones e a Última Cruzada” no cinema do Itaigara numa sexta após sair do colégio. 19 anos depois novamente volto ao cinema com meu pai, dessa vez acompanhado de mais gente, para assistir a uma nova aventura do Indiana Jones. Acho que com esse relato inicial deu para sentir a expectativa em relação ao filme.

Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal” demorou para sair do papel enquanto George Lucas, Steven Spielberg e Harrison Ford tentavam chegar a um acordo se valia a pena ou não volta a franquia. A bem da verdade é que o estilo de filme de Indiana vinha sendo copiado com sucesso em outras franquias como “A múmia” ou “A Lenda do tesouro perdido”.

Quando eu comprei minha caixa com a trilogia do Indiana ao conferir os extras com entrevista com o elenco, quem mais parecia “velho” era Harrison Ford. Então me perguntava se ele ainda tinha condições de voltar a viver o herói. Além disso, ultimamente ele tem feito filmes bem fracos. Após ver um trailer do novo Indiana estava convencido de que ele ainda podia interpretar o papel.

O filme foi feito sem dúvida para agradar os fãs, além é claro de tentar apresentar o herói nos cinemas para uma nova geração. Para isso era importante manter o espírito das aventuras anteriores, isto é, nada de tentar “modernizar” o personagem. Sem abusar dos efeitos visuais ele consegue manter o estilo de “filme B”. Alias tem algumas partes com uns efeitos até meio toscos, acredito eu que tenha sido feito de propósito para manter o estilo.

A história também era um fator extremamente importante, conseguir ter algo para justificar uma volta do herói. Esse foi o motivo que mais fez o filme demorar em começar a ser produzido, fazer um bom roteiro. Uma ótima idéia foi fazer a história se passar também 19 anos após o filme anterior, respeitando o envelhecimento dos atores, caindo no ano de 1957 no meio da guerra fria. Depois de enfrentar os nazistas, era agora a vez de encarar os comunistas.

Ótimas cenas de ação, muito bom humor com ótimas piadas e referências, seguindo a mesma linha dos outros filmes. Se você espera alguma “inovação” pode esquecer. Tudo segue a mesma fórmula de sucesso da franquia e isso é um ponto positivo. Afinal de contas a graça dos filmes do Indiana é o clima retro.

O resultado é um excelente filme que vai satisfazer tanto os fãs quanto aqueles que estão apenas interessados em um bom entretenimento. Diversão altamente garantida!
Postar um comentário