propaganda

terça-feira, 24 de junho de 2008

Agente 86

Título Original: Get Smart (2008)
Com: Steve Carell, Anne Hathaway, Dwayne Johnson, Alan Arkin, Terence Stamp, Masi Oka, Dalip Singh e Bill Murray
Direção: Peter Segal
Roteiro: Tom J. Astle e Matt Ember
Duração: 110 minutos


Nota: 3 (bom)

O famoso seriado dos anos 60 “Agente 86” ganha uma versão atualizada nos cinemas, dessa vez estrelada pelo comediante Steve Carell. Uma escolha bastante acertada, o ator é perfeito para o papel do atrapalhado agente Maxwell Smart, ou simplesmente Max.

Além de Carell, o restante do elenco também foi muito bem selecionado. Destaque para Anne Hathaway, que vive a parceira de Max agente 99 e Alan Arkin (que trabalhou com Carell em “Pequena Miss Sunshine”), que vive o chefe da organização C.O.N.T.R.O.L.E. onde Max trabalha. Completam o time Dwayne Johnson e Terence Stamp, mas vale citar também a rápida participação de Bill Murray e a presença de Mais Oka, da série Heroes.

A idéia do filme foi boa, mostrar o início da carreira de Max antes de virar agente, algo que nunca foi mostrado na série de TV. Ele é apenas um analista que sonha em virar um agente de campo. Depois de fazer o teste várias vezes e não conseguir, ele acaba conseguindo passar, mas não é promovido. Após um ataque a sede do C.O.N.T.R.O.L.E., a identidade de todos os agentes é revelada e Max acaba sendo convocado para agir ao lado da agente 99 para descobrir quem é o responsável pelo ataque.

O diretor Peter Segal tem mais experiência em comédias, mas consegue equilibrar bem os momentos cômicos do filme com boas cenas de ação. A química entre a dupla Carell e Hathaway é muito boa. Ele tem mais experiência como comediante, mas ela também tem um bom histórico em papéis um pouco cômicos.

Uma boa comédia, um bom elenco, boas cenas de ação, mas nem tudo é perfeito no filme. Talvez o ritmo se perca em algumas partes, nada que chegue a comprometer. O problema é o roteiro, que acaba deixando um pouco a desejar, principalmente na parte final e conclusiva da história. Mesmo assim o filme ainda consegue manter seu papel como um bom entretenimento, divertido, bacana e nada mais do que isso.
Postar um comentário