propaganda

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Kung Fu Panda

Título Original: Kung Fu Panda (2008)
Com as vozes de: Jack Black, Dustin Hoffman, Angelina Jolie, Ian McShane, Jackie Chan, Seth Rogen e Lucy Liu
Direção: Mark Osborne e John Stevenson
Roteiro: Jonathan Aibel e Glenn Berger
Duração: 88 minutos


Nota: 4 (ótimo)

O jeito foi conferir o “Kung Fu Panda” em uma versão tosca baixada da Internet, mas com o áudio original em inglês, já que somente cópias dubladas estão em cartaz nos cinemas. Pena que as distribuidoras não pensem em “crianças mais velhas” como eu (risos). Desculpe-me Lucio Mauro Filho, mas esse filme é do Jack Black.

Po é praticamente uma versão em animação do ator Jack Black, só que em versão panda. O resto do elenco de vozes também é bem bacana com nomes como Dustin Hoffman, Angelina Jolie, Jackie Chan, Seth Rogen e Lucy Liu.

Na história Po trabalha como garçom no restaurante do pai e é fanático por kung fu, mas digamos assim não tem a forma ideal de um lutador. A confusão começa quando ele acaba sendo apontado como “o escolhido” que vai salvar a vila de uma grande ameaça. Claro que ele irá enfrentar muitos desafios para provar ser mesmo a escolha certa, principalmente para o mestre Shifu (Dustin Hoffman).

O filme mistura bem elementos de comédia com aventura, tornando-se bastante divertido. A história é totalmente despretensiosa, com alguns elementos absurdos e sem explicação como o fato do pai de Po ser um ganso, mas ao mesmo tempo se preocupando com detalhes em relação ao kung fu.

A parte visual e técnica também merecem destaque, tanto das cores dos cenários quanto dos detalhes dos personagens. As lutas também são muito bem feitas. Alias o fato do desenho se passar na China é bastante esperto já que o país está em evidência esse ano devido aos jogos olímpicos.

Agora o grande destaque do desenho é obviamente Jack Black como Po. O personagem tem até alguns movimentos e trejeitos do ator. É ele quem comanda e é responsável por toda a diversão do filme.

Apesar de não ter nada de muito original, o grande trunfo do filme é ser mesmo bastante despretensioso e investir na diversão, agradando pessoas de todas as idades. Pode não ser tão genial e pretensioso quanto os desenhos da Pixar, mas a Dreamworks mostra que pode também contar uma boa e divertida história.
Postar um comentário