propaganda

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Prometheus

(EUA , 2012)
Com: Noomi Rapace, Michael Fassbender, Charlize Theron, Idris Elba, Guy Pearce, Logan Marshall-Green, Sean Harris, Rafe Spall, Kate Dickie, Benedict Wong, Emun Elliott e Patrick Wilson
Direção: Ridley Scott
Roteiro: Jon Spaihts e Damon Lindelof
Duração: 124 minutos


Nota: 4 (ótimo)

Quem for ao cinema em busca de respostas as questões filosóficas sobre a origem da vida com certeza vai sair decepcionado após assistir “Prometheus”. Como o próprio trailer já mostra, o grupo vai em busca de respostas, mas acaba encontrando “outra coisa”.



A expectativa em relação a volta do diretor Ridley Scott ao mundo da ficção científica era grande já que ele é responsável por 2 grandes clássicos do gênero: “Alien – o 8º passageiro” e “Blade Runner – o caçador de androides”. Talvez se esperasse que ele mais uma vez trouxesse uma evolução ao gênero, mas ele preferiu ficar em terreno seguro. Investiu mais no impacto visual e fez um filme que é de certa forma um prelúdio do universo Alien.

O grande problema do filme é que ele lembra bastante os 2 primeiros filmes da franquia Alien. Isso prejudica um pouco, mas mesmo assim o resultado é bem positivo. Sem dúvidas o que mais chama a atenção é o visual que é maravilhoso, ainda mais em 3D.

A trama começa com um casal de pesquisadores que descobre um “convite” com um mapa que pode trazer respostas sobre a origem do ser humano. Mas ao chegar no lugar marcado não vão ser respostas que eles vão encontrar.

Iremos embarcar na nave Prometheus patrocinada por uma grande corporação. No grupo temos alguns contratados que só estão lá pelo dinheiro e esses são deixados de lado pelo roteiro. O destaque principal é a pesquisadora Elizabeth Shawn (Noomi Rapace - "Sherlock Holmes - O Jogo de Sombras"), a “heroína” da história. Ela junto com Charlie (Logan Marshall-Green) que fizeram a descoberta. Mas quem está no comando da missão é Meredith Vickers (Charlize Theron - "Jovens Adultos") representando a corporação responsável pelo financiamento da expedição do misterioso Peter Weyland (o irreconhecível Guy Pearce).

Mas quem acaba mesmo se destacando entre os personagens é o androide David interpretado por Michael Fassbender (Shame). Ele rouba a cena e se destaca no filme com seu jeito meio contido e misterioso sem nunca deixar clara quais são suas reais intenções.

A primeira metade do filme é usada para apresentar o universo, a história, os elementos, um pouco sobre alguns personagens, para na segunda parte se concentrar no caos causado pelo que eles encontraram no lugar indicado pelo convite. Muita coisa acaba sem resposta e deixada para uma futura continuação. Mas eu gostei bastante do final. [SPOILER] Quem esperava pela origem da vida acaba se deparando com a origem do Alien, o que para mim foi muito mais legal, interessante e uma bela surpresa. [FIM DO SPOILER]
O resultado é um ótimo filme, acima da média e que mesmo sem trazer grandes novidades tem um visual muito bom, boas cenas de ação e suspense e personagens principais interessantes (e secundários que não servem para nada a não ser morrer). Talvez o roteiro pudesse ter explorado melhor a parte filosóficas, ou então não ter investido tanto nela se no final das contas se não seria o principal. E por mais que tenham dito que é uma história nova coisa e tal, na verdade o negócio é sim um prelúdio de Alien. Quem sabe se fosse vendido assim a decepção com a falta de “respostas” tivesse sido menor.
Postar um comentário