propaganda

domingo, 22 de agosto de 2004

De Corpo e Alma

Robert Altman é um grande diretor. Não sou assim tão fã dele mas curto seus filmes. M.A.S.H., Short Cuts e seu filme anterior "Assassinato em Gosford Park" são muito bons. Mas claro que ninguém é perfeito, ele tmabém já fez umas bombas como "Dr. T e as mulheres" e "Prêt-A-Porter". Eis que sua carreira acaba de ter mais uma bomba, esse filme chamado "De Corpo e Alma" (The Company), estrelado por Neve Campbell.

Uma mulher chamada Barbara Turner passou dois anos observando e escrevendo sobre o dia a dia da Joffrey Ballet of Chicago. Depois se juntou a Neve Campbell para escrever a "história" do filme. Para quem não sabe (inclusive eu não sabia disso), Neve fazia balé antes de virar atriz. Ela trabalhou bastante junto com companhia de balé para que pudesse ser capaz de fazer todas as suas cenas de dança. A idéia seria mostrar a dura realidade do mundo do balé. Nas mãos do diretor Altman isso tinha tudo para ser uma boa história. Mas não foi bem isso que aconteceu.

Com a ajuda do Joffrey Ballet of Chicago, o filme conta a "história" do dia a dia uma companhia de Balé e os "problemas" vividos pelos dançarinos devido a sua dura dedicação ao trabalho. Ry (Campbell) é uma dessas dançarinas. Além de fazer Balé ela trabalha de garçonete e mora num apartamento até bonitinho apesar de ser ao lado de uma linha de metrô. Os outros atores não dançarinos são James Franco (Homem-Aranha 1 e 2) que faz o paquerinha de Ry e Malcolm McDowell (Laranja Mecânica) como o dono da companhia de Balé. Só que o drama dos personagens fica apenas na superficialidade enquanto é mostrado os ensaios e logo depois trechos de espetáculos de dança.

Balé é uma coisa muito moderna e conceitual pra mim. Digamos que eu conhecesse apenas a o lado mais careta e conservador.

Com o passar do tempo a superficilidade da trama continua e nada de uma história ou algum um drama parecem nunca aparecer. Com o grande finale do espetáculo chamado "A cobra azul", uma coisa cheia de cores e cenários ultra modernos chegamos ao final do filme. Mas e aí, nada aconteceu. Pois é, pegadinha do Malandro. Parece que o filme foi uma desculpa para mostrar alguns trechos de danças coisa e tal. Ou para mostrar que Neve Campbell sabe realmente dançar. Ou para mostrar o quanto o Balé pode ser brega e moderno. Ou poderia ter sido uma crítica ao mundo do balé e eu nem percebi. Realmente, dificil chegar a alguma conclusão. Só posso dizer que é bizarro e decepcionante!
Postar um comentário