propaganda

sábado, 6 de dezembro de 2008

A Espiã

Título Original: Swartboek / Black Book (2006)
Com: Carice van Houten, Sebastian Koch, Thom Hoffman, Halina Reijn, Waldemar Kobus, Derek de Lint e Dolf de Vries
Roteiro: Gerard Soeteman e Paul Verhoeven
Direção: Paul Verhoeven

Duração: 145 minutos


Nota: 3 (bom)

A segunda Guerra mundial foi um evento que marcou a história da humanidade e ainda hoje serve de tema para filmes. Em “A Espiã” temos uma visão holandesa dos acontecimentos.

O diretor Paul Verhoeven volta a seu país de origem, a Holanda, após 20 anos para contar a história de uma jovem judia holandesa que acaba se tornando uma espiã para a resistência durante a 2ª guerra após ter perdido sua família exterminada pelos nazistas.

Rachel (Carice van Houten) terá que se infiltrar nos nazistas através de um oficial que ele conhece numa viagem de trem em busca de informações para a resistência. Ela assume um novo nome, Ellis, e irá se envolver num jogo de intrigas, conspirações e traições.

O que poderia ser um simples drama de guerra acaba virando nas mãos de Verhoeven uma mistura de sexo, violência e relativismo moral se tornando um bom melodrama, sem em nenhum momento soar piegas.

Quem conhece a filmografia do diretor, que inclui filmes como “Robocop”, “Instinto Selvagem” e “O vingador do futuro”, não irá estranhar as cenas de sexo ou violência.

O resultado mostra que ainda é possível contar boas histórias e fazer bons filmes relacionados a um tema tão batido quanto a 2ª guerra, basta ser realizado pela pessoa certa.
Postar um comentário