propaganda

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Scott Pilgrim Contra o Mundo

Título Original: Scott Pilgrim versus the World (EUA, Inglaterra, Canadá , 2010)
Com: Michael Cera, Mary Elizabeth Winstead, Brandon Routh, Jason Schwartzman, Aubrey Plaza, Kieran Culkin, Brie Larson, Mae Whitman, Ellen Wong, Anna Kendrick, Mark Webber, Alison Pill e Satya Bhabha
Direção: Edgar Wright
Roteiro: Edgar Wright e Michael Bacall baseado nas revistas de Brian Lee O'Malley
Duração: 112 minutos

Nota: 5 (excelente)

A primeira vez que eu vi o trailer de “Scott Pilgrim Conta o Mundo” virei fã da história. Scott deveria ter que derrotar os 7 ex-namorados de Ramona para poder ficar com ela. Uma mistura de videogame com música. Michael Cera no papel principal, Edgar Wright (“Todo mundo quase morto” e “Chumbo Grosso”) na direção e para completar o personagem principal ainda aparecia usando a camisa Zero do Smashing Pumpkins, que por acaso é minha banda favorita. Pronto, não tinha como eu não gostar.


HQ

O primeiro passo foi correr atrás da HQ de Brian Lee O'Malley que tinha acabado de ser lançado no Brasil. Ao todo são 6 volumes, mas por aqui foram divididos em 3 onde cada 1 teriam 2 volumes juntos. Por enquanto apenas os 2 primeiros foram lançados por aqui, então tive que comprar os importados pra terminar de ler antes de assistir o filme. E valeu a pena, o negócio é realmente muito bom.

O estilo de desenhar de O'Malley junto com sua ótima narrativa mostrando um jovem canadense, referência a sua própria vida, misturado com muito humor, várias referências pop tanto de música e videogames, além é claro de uma ótima história de amor. Com tantos bons elementos não tinha como não dar certo e a revista virou um fenômeno de vendas e claro, acabou virando filme.

Jogo
Aproveitando o lançamento do filme foi criado o jogo para PS3 e X-Box 360 que pode ser comprado online nas respectivas redes dos videogames.

Scott Pilgrim: The Game” é um jogo em 2D e faz uma bela homenagem aos jogos da geração 8 bits, principalmente da Nintendo. O visual é bastante fiel aos quadrinhos e o resultado é diversão garantida para os fãs.

É claro que eu não perdi meu tempo e comprei.




Filme
Uma pena foi que o filme não foi bem nas bilheterias americanas e isso afetou o lançamento dele em outros países. Aqui no Brasil foi bastante restrito sendo exibido apenas no Rio de Janeiro e em São Paulo. Queria muito ter visto no cinema! Talvez o filme não tenha sido vendido da maneira correta lá nos EUA e acharam que apenas o sucesso dos quadrinhos e a figura de Michael Cera seriam suficientes.

O filme é realmente muito bom! Sem dúvidas um dos melhores do ano e algo totalmente inovador para o cinema. A edição mistura muito bem elementos de videogame com quadrinhos com um excelente ritmo utilizando efeitos especiais na medida certa. As cenas de luta são impressionantes! Quem imaginou um dia uma luta entre os atores Michael Cera e Jason Schwartzman?

A escolha do elenco foi muito boa e a caracterização dos personagens ficou excelente. O principal destaque é Kieran Culkin, que vive Wallace, amigo gay de Scott que divide um apartamento com ele. Sempre que está na tela ele rouba a cena. Mas todos os atores estão muito bem e isso conta bastante no resultado final. E alguns tiveram trabalho extra ao ter que treinar para as cenas de luta já que eles mesmos fizeram as cenas.

O diretor Edgar Wright fez um ótimo trabalho na adaptação dos quadrinhos. Ele conseguiu colocar em 2 horas de filme o principal da história respeitando muito a fonte. Claro que muita coisa acaba ficando de fora, mas faz parte.

Está tudo no filme: o humor, a música, videogame, quadrinhos, amor... A história é bem abrangente de público ao reunir todos os elementos, mas obviamente são os “nerds” que são os maiores contemplados. O filme tem tudo para virar um clássico cult, um verdadeiro épico moderno da cultura pop.
Postar um comentário