propaganda

domingo, 23 de janeiro de 2011

O Segredo dos Seus Olhos

Título Original: El Secreto de Sus Ojos (Argentina / Espanha, 2009)
Com: Ricardo Darín, Soledad Villamil, Pablo Rago, Javier Godino, Guillermo Francella, José Luis Gioia e Carla Quevedo
Direção e Roteiro: Juan José Campanella
Duração: 127 minutos

Nota: 5 (excelente)

Sucesso de bilheteria na Argentina, seus país de origem, o filme “O Segredo dos Seus Olhos” é um filme que surpreende ao misturar vários gêneros em doses corretas resultando num excelente trabalho. Não é a toa que ele recebeu vários prêmios, inclusive o Oscar de melhor filme estrangeiro.

O diretor Juan José Campanella, do também sucesso “O filho da noiva”, coloca mais uma vez o ator Ricardo Darín como protagonista, dessa vez deixando o lado cômico de lado ao mostrar uma história que mistura o gênero policial com drama, romance e um leve toque noir.

O roteiro é o grande destaque do filme. É incrível a qualidade do cinema argentino (apesar de não o acompanhar muito) em contar boas histórias. Juntando isso com um ótimo elenco e pronto, temos um grande filme.

A história tem como pano de fundo a época da ditadura argentina nos anos 70, mas começa no presente quando Benjamín Espósito (Darín), ex-funcionário de um tribunal agora aposentado resolve escrever um livro sobre um crime assassinato que marcou a sua vida. Ao revisitar esse período do seu passado ele irá tentar encerrar o caso e também um capítulo da sua própria vida.

A trama alterna entre passado e presente e aos poucos vai se construindo a história e muitas surpresas estão guardadas. Apesar do gênero policial, ao contrário dos filmes americanos aqui não temos muitos tiros ou cenas de ação. Mas nem por isso ficamos sem um clima de tensão em algumas partes, além de contar com uma excelente fotografia e algumas belas imagens, sem falar de uma excelente sequência num estádio de futebol. O importante mesmo é o lado humano e um tom mais realista.

O resultado é um excelente filme, com uma história capaz de prender a atenção por pouco mais de 2 horas graças a ótima direção e roteiro de Juan José Campanella. E parabéns aos argentinos que conseguiram levar o Oscar, enquanto o Brasil parece cada vez mais distante disso.
Postar um comentário