propaganda

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

O Vencedor

Título Original: The Fighter (EUA , 2010)
Com: Mark Wahlberg, Christian Bale, Amy Adams, Robert Wahlberg, Melissa Leo, Dendrie Taylor, Jack McGee e Sean Patrick Doherty
Direção: David O. Russell
Roteiro: Scott Silver, Paul Tamasy, Eric Johnson e Keith Dorrington
Duração: 115 minutos

Nota: 4 (ótimo)

O boxe é um esporte bastante utilizado pelo cinema americano para contar histórias de superação. “O Vencedor” podia ser apenas mais um nessa lista, mas apesar da história ser bastante clichê um ótimo roteiro e excelentes atuações fazem com que ele se torne um filme muito bom.

O diretor David O. Russell estava um pouco sumido sem fazer filmes desde 2004. Aqui ele volta a trabalhar com Mark Wahlberg. Eles haviam feito “Três Reis”, filme de maior sucesso do diretor até então. E Wahlberg além de ser o protagonista, também é produtor do filme.

Na história temos 2 irmãos: Dicky Ecklund (Christian Bale), ex-lutador que conseguiu uma certa fama mas perdeu a sua chance, e Micky Ward (Mark Wahlberg) que tenta seguir os passos do irmão mais velho no boxe. No meio deles temos a mãe (Melissa Leo) como empresária e Dick é o treinador. O problema é que Dick tem problemas com drogas e a mãe passa a mão na cabeça dele sem dar a atenção devida a carreira de Micky, que após conhecer uma garota (Amy Adams) resolve tentar seguir a carreira sem o irmão e mãe.

A trama é baseada em fatos reais e apesar dos clichês do gênero o filme consegue emocionar e divertir, equilibrando bem o tom entre a comédia e o drama sem nunca exceder para nenhum dos dois lados. O roteiro é muito bom e a história ganha ainda mais força com as atuações. Bale está fantástico e rouba a cena sempre que aparece. Seu personagem não é o principal, mas a história gira em torno dele. Melissa Leo também está muito bem no papel da mãe. Amy Adams também está bem, mas nem se compara com os outros dois.

Já o personagem de Wahlberg é um pouco mais sem graça e tenha menos força e carga dramática que os outros, então sua atuação acabou não chamando a atenção da academia, mas como ele é produtor do filme ganhou a indicação por melhor filme.

As cenas de luta são poucas, mas são bem reais. Eles filmaram tudo num fim de semana e chamaram câmeras de lutas de boxe para filmar, já que eles filmam as lutas ao vivo e não perdem nenhum lance. Claro que temos algumas câmeras lentas para dar maior “dramaticidade” as lutas.

O resultado é um ótimo filme, que por mais que seja clichê mesmo assim consegue contar uma boa história sem apelar para o melodrama e apresentar ótimos personagens com excelentes atuações.
Postar um comentário