propaganda

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Quero Matar Meu Chefe

Título Original: Horrible Bosses (EUA , 2011)
Com: Jason Bateman, Charlie Day, Jason Sudeikis, Colin Farrell, Jennifer Aniston, Kevin Spacey, Jamie Foxx, Donald Sutherland, Kenny Sommerfeld, Lindsay Sloane, Julie Bowen, Isaiah Mustafa, Wendell Pierce, Ron White e Ioan Gruffudd
Direção: Seth Gordon
Roteiro: John Francis Daley, Jonathan M. Goldstein e Michael Markowitz
Duração: 98 minutos

Nota: 3 (bom)

Quem nunca teve problema com o chefe? Pensando assim a premissa da comédia “Quero Matar Meu Chefe” é bem interessante, apesar de não ser muito original. Três amigos que tem problemas com seus respectivos chefes resolvem montar um plano para matá-los.

A idéia do filme é uma mistura de “Pacto Sinistro”, clássico de Alfred Hitchcock, com “Jogue a Mamãe do Trem”, como os próprios personagem deixam claro em determinado momento da trama ao citar os filmes.

Na história Nick (Jason Bateman) odeia seu chefe Dave (Kevin Spacey) que o explora bastante. Kurt (Jason Sudeikis) tem que lidar com o filho do dono da empresa em que trabalha chamado Bobby (Colin Farrell), que assume o lugar do pai e quer apenas lucrar sem se importar com a empresa. Enquanto Dale (Charlie Day) trabalha como auxiliar da dentista Julia (Jennifer Aniston) e tem que agüentar enquanto ela o assedia sexualmente correndo o risco de comprometer o noivado do rapaz.

O que faz a diferença nesse filme é o elenco e suas improvisações. Os três personagens principais vividos por Bateman, Day e Sudeikis são bastante carismáticos e engraçados. A grande surpresa é Day que em seu primeiro papel principal no cinema rouba a cena. Os coadjuvantes também são muito bons. Jammie Foxx, Jennifer Aniston e Colin Farrell estão ótimos, pena que seus personagens não apareçam tanto.

Talvez o que complique um pouco o filme seja a trama. A idéia é boa, mas o desenrolar dela se perde em alguns momentos. Mesmo assim as ótimas piadas e o elenco garantem a diversão deixando esses problemas em segundo plano resultando num bom filme.
Postar um comentário