propaganda

sexta-feira, 9 de março de 2012

Guerra é Guerra!

Título Original: This Means War (EUA, 2012)
Com: Reese Witherspoon, Chris Pine, Tom Hardy, Laura Vandervoort, Til Schweiger, Rebel Wilson, Angela Bassett, Abigail Spencer, Emilie Ullerup e Chelsea Handler
Roteiro: Timothy Dowling e Simon Kinberg
Direção: McG
Duração: 120 minutos

Nota: 1 (ruim)

O filme “Guerra é Guerra!” é uma mistura de comédia romântica com filmes de ação. A ideia de misturar os gêneros pode ser interessante em tornar o filme mais abrangente para público tanto masculino quanto feminino. Infelizmente o resultado aqui é bem decepcionante.

O diretor McG já fez filmes legais como “As Panteras” e “O Exterminador doFuturo: A Salvação”, mas sua filmografia é bastante irregular. Ele conseguiu reunir um bom trio para estrelar o filme formado por Reese Witherspoon (Johnnye June), Chris Pine (Star Trek) e Tom Hardy (A Origem), mas não conseguiu construir uma história que fosse capaz de pelo menos divertir e não acerta em nenhum dos gêneros.

A premissa do filme é bem absurda e realmente ia ser difícil conseguir torná-la interessante, mas talvez pudesse ser ao menos divertida. Nela 2 amigos espiões (Pine e Hardy) se apaixonam pela mesma mulher (Witherspoon) e irão usar recursos da agência que trabalham para investigá-la e cada um bola sua estratégia para tentar conquistá-la de vez.

A ideia não é de toda ruim, mas o roteiro é muito ruim. A trama começa com os 2 espiões numa missão, mas o “vilão” escapa. Então quando eles voltam tem que continuar a investigação, só que eles resolvem deixar isso de lado e se concentrarem na “guerra” pela mocinha da história. Aí no final o cara aparece e tudo se resolve facilmente. Se a história é a guerra pelo amor não tinha necessidade de se criar uma “ameaça” que não serve pra nada.

Esses problemas poderiam ser relevados se as situações que os espiões usassem para conquistar a garota fossem interessantes, mas é justamente aí que o filme aceita sua derrota. Ele não consegue em nenhum momento ser engraçado, romântico e muito menos criar cenas de ação legais. Tudo é feito de forma genérica e quase nada se salva.

O resultado é uma comédia romântica sem romance e um filme de ação sem graça. Se a ideia era agradar tanto homens quanto mulheres, acredito que ambos vão sair bem decepcionados com que viram na tela.
Postar um comentário