propaganda

quarta-feira, 7 de março de 2012

Protegendo o Inimigo

Título Original: Safe House (EUA, 2012)
Com: Ryan Reynolds, Denzel Washington, Vera Farmiga, Brendan Gleeson, Robert Patrick, Sam Shepard, Liam Cunningham, Joel Kinnaman, Tanit Phoenix e Stephen Bishop
Roteiro: David Guggenheim
Direção: Daniel Espinosa
Duração: 115 minutos

Nota: 2 (regular)

Infelizmente atores como Denzel Washington estão numa categoria junto com gente tipo Nicolas Cage. Deixe-me explicar melhor. São atores que já fizeram ótimos filmes, tem algum prestígio, mas ultimamente preferem trabalhar no modo automático em filmes que os mantenham na sua zona de conforto apenas para garantir seus cachês. Se pelo menos sempre estivessem fazendo bons filmes, até deixava passar mesmo que não fossem papéis novos e interessantes.

Isso tudo é para falar sobre o novo filme estrelado por Washington chamado “Protegendo o Inimigo” do diretor estreante Daniel Espinosa. O elenco conta também com bons nomes como Ryan Reynolds e Vera Farmiga. Mas apesar de ter bons atores, falta um pouco de criatividade a história.

Washington vive um renegado da CIA que acaba se entregando (não vou contar os motivos, é a cena inicial do filme) e vai parar na “safe house” do título original do filme. E o “caseiro” é o personagem de Reynolds, um agente novato da CIA em busca de oportunidade na agência. O lugar é atacado por mercenários e acaba sobrando pro novato o trabalho de cuidar do inimigo experiente.

Já deu pra notar o número de clichês da história. O personagem de Washington suspeita que tenha alguém infiltrado, mas Reynolds como novato não vai acreditar no “inimigo”, por mais experiente que ele seja.

Voltamos mais uma vez a questão da atuação. Tanto Washington quanto Reynolds entregam boas atuações, mas nada que ambos já tenham mostrado. Principalmente Washington que já virou uma caricatura. Impossível não lembrar, por exemplo, de “Dia de Treinamento”, que inclusive deu a ele o Oscar de melhor ator.

Se na história o filme não é muito original, nas cenas de ação a coisa não melhora muito. Tem até uma boa cena de perseguição de carros, mas nada que chame muito a atenção e consiga salvar o filme de conseguir funcionar pelo menos como um bom entretenimento.
Resumindo trata-se de um filme policial genérico que pode agradar quem que se contenta com o básico arroz com feijão e que gostam bastante de Washington.
Postar um comentário