propaganda

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Um Estranho no Lago

Título Original: L'Inconnu Du Lac (França , 2013)
Com: Pierre Deladonchamps, Christophe Paou, Patrick d'Assumção, Jérôme Chappatte e Mathieu Vervisch
Direção e Roteiro: Alain Guiraudie
Duração: 100 minutos

Nota: 3 (bom)

Até que ponto fica o limite entre o desejo e o medo? Essa é uma das perguntas que se passa pela cabeça durante o filme “Um Estranho no Lago”. Umas das melhores definições que eu daria ao filme é: uma trama de suspense inspirada em filmes de Alfred Hitchcock só que francês e gay.


O lago do título é um lugar na França onde homens gays se encontram para flertar uns com os outros em busca de sexo fácil e sem compromisso, ou simplesmente observar a depender do fetiche de cada um.

Um desses homens é Franck (Pierre Deladonchamps) que vai todos os dias ao local seja para dar um mergulho no lago e ver o movimento ou em busca de uma nova aventura sexual. Mas tem também um homem que vai para o local apenas para passar o tempo sem nenhum interesse nos outros homens, esse é Henri (Patrick d'Assumçao) que acabou de se separar de sua mulher. Os 2 acabam virando uma espécie de amigos e conversam um pouco todo dia.

O problema é que Franck se interessa por Michel (Christophe Paou) e apesar de vê-lo fazer algo terrível (falar mais do que isso é SPOILER) mesmo assim resolve se envolver com o cara sabendo dos riscos que corria. Ou seja, o desejo falou mais alto que o medo e a razão.

Então temos esse clima de suspense e tensão misturados com muita sexualidade. O filme causou polêmica graças a seu erotismo com cenas de nudez e sexo explícito. Mas o erotismo faz parte do contexto e ajuda a criar toda a caracterização dos personagens e do local.
Além do suspense e mistério outra característica que lembra bastante alguns filmes de Hitchcock é o fato de toda a história se passar em apenas um local. Não que isso seja exclusividade do diretor obviamente. 

O resultado é um filme bem interessante, mas que não irá agradar ao grande público pelo seu ritmo mais lento e obviamente pelas cenas de sexo explícito gay. O final poderia ter sido um pouco mais impactante, mas tem bem cara de final de filme francês.
Postar um comentário