propaganda

domingo, 3 de abril de 2016

Zootopia - Essa Cidade é o Bicho (Zootopia)

É impressionante como a história de “Zootopia - Essa Cidade é o Bicho”, nova animação da Disney, toca em temas tão interessantes e polêmicos de forma inteligente e divertida capaz de ser compreensível para todas as idades. Logo na primeira cena somos apresentados ao universo onde o filme se passa. Não temos animais fofinhos, mas sim animais que evoluíram e se comportam como humanos (nós não existimos). Essa evolução é mostrada numa peça de colégio montada pela pequena coelha Judy Hopps onde vemos a mudança da relação entre predadores e presas.

O sonho de Judy é ser policial, mas ela não é encorajada a seguir nesse caminho por ser uma pequena coelha. Nunca existiu um coelho policial, ainda mais do sexo feminino. Mas ela não desiste e apesar de todas as adversidades consegue alcançar seu objetivo de ser policial na cidade de Zootopia. Só que ainda ela vai ter problemas em ser levada a sério por seus colegas, principalmente o seu chefe. Inicialmente começa como guarda de trânsito, mas acaba conseguindo um caso para investigar o sumiço de um pequeno animal pai de família. Ela terá 48 horas para resolver o caso e contará com a ajuda apenas da raposa Nick Wilde.

O primeiro ponto é sobre a questão de não desistir de seus sonhos, por mais impossíveis que possam parecer. E se pensarmos que na nossa sociedade ainda existem diversas profissões que por causa do gênero ou raça não são comuns. A própria profissão de policial ainda é bastante masculina, apesar de já haverem algumas mulheres. Mas se você se mostrar capaz não vai ser o gênero que vai te impedir.

O segundo ponto é em relação a preconceito. A jovem coelha irá sentir na pela isso. E uma das melhores piadas a mostra tentando explicar que quando algum outro animal a chama de fofinha isso é errado. Ou o quanto Nick sofre por acharem que raposas são sempre malandras e traiçoeiras aceitando o seu destino se comportando como tal.
É impressionante como a animação consegue tocar em temas delicados de forma brilhante. A cena mais genial é quando Judy vai a um lugar onde os animais praticam nudismo e ela fica chocada ao ver a posição dos animais, mas nós humanos não vemos problemas nisso só que obviamente damos risada tentando imaginar a mesma situação se fossem homens e mulheres.

Mas é claro que a cena na qual Judy e Nick vão ao departamento de trânsito da cidade onde todos os funcionários são bichos preguiça é a mais engraçada e genial de todas. A metáfora da burocracia e ritmo lento de funcionamento do local é fantástica. Apesar de a cena ter sido mostrada antes num trailer mesmo assim ela continua funcionando muito bem no filme. E se preparem que essa não é a única piada envolvendo as preguiças (risos).

É interessante notar também o funcionamento da cidade de Zootopia e ver as adaptações para os mais diversos tipos de animais e como funciona a separação entre eles de acordo com o seu tipo de habitat, tamanho e outras características. E como tudo funciona em harmonia e todos se respeitam apesar das diferenças.

O visual da animação é muito bom ao se preocupar bastante com os detalhes da construção da cidade e principalmente com a caracterização dos personagens. Agora o uso do 3D se mostra totalmente desnecessário sendo usado apenas para ganhar mais dinheiro com o valor mais alto do ingresso. A dublagem em português é boa, mas fica mais uma vez registrada a crítica pela falta de cópias legendadas.

Somente o fato de termos uma animação de bichos que não são “fofinhos” e foge do lugar comum já merecia créditos, mas a Disney foi ainda mais além em conseguir diversificar e criar uma história inteligente e interessante chegando no mesmo nível dos filmes da Pixar. A trama mistura investigação policial misturada com aventura. Fala sobre amizade e não um tema romântico. Não deixa de ser uma fábula, mas não um conto de fadas. E ainda conta com uma incrível personagem feminina forte. Somente o fato de conseguir tocar em pontos tão interessantes e polêmicos de forma divertida e interessante já seria o suficiente para se assistir essa animação. Fica uma mensagem positiva e edificante sem soar forçada, mas sim totalmente atual e necessária. E nem por isso precisa ser chata. Mas é mais provável que a mensagem que fique é sobre a piada das preguiças. Pelo menos a Disney tentou passar alguma coisa (risos).

Título Original: Zootopia (Estados Unidos, 2016)
Com as vozes em inglês: Ginnifer Goodwin, Jason Bateman, Idris Elba, Jenny Slate, Nate Torrence, Bonnie Hunt, Don Lake, Tommy Chong, J.K. Simmons, Octavia Spencer, Alan Tudyk, Shakira e Maurice LaMarche
Com as vozes em português: Mônica Iozzi, Rodrigo Lombardi, Ramon Campos, Jussara Marques, Rodrigo Andreatto, Isabel de Sá, Leonardo Camilo, Glauco Marques, Mauro Castro, Cecília Lemes, Vagner Fagundes, Cássia Bisceglia e Cassius Romero
Direção: Byron Howard e Rich Moore
Roteiro: Jared Bush e Phil Johnston
Duração: 108 minutos

Nota: 5 (excelente)
Postar um comentário