propaganda

segunda-feira, 22 de novembro de 2004

Spun

O diretor Jonas Åkerlund ficou conhecido por seus videoclipes gêniais e quase sempre polêmicos. "Smack my bitch up" do Prodigy foi proibido de passar na Mtv Americana e na Mtv Europa e na brasileira só podia passar em determinados horários. O video mostra uma noitada de uma pessoa, se drogando, bebendo, indo a um bar de shows eróticos e no final uma cena de sexo com uma mulher. Quando você acha que aquilo foi protagonizado por um homem, descobre que o personagem na verdade era uma outra mulher, quando ela se olha no espelho ao final do clipe.

Outro que causou polêmica foi "My favourite game" do Cardigans, em que a vocalista da banda saía fazendo barbaridas no trânsito com seu carro conversível. Esse foi proibido na Europa por incentivar a direção perigosa. Ele também já fez clipes mais normais e também muito bons como "Ray of Light" de Madonna, "Gets me through" de Ozzy, "Beautiful Day" do U2 e "Everlasting Gaze" do Smashing Pumpkins.

Antes de ser diretor de cinema ele era músico. Tocou bateria no Bathory, banda de black/death metal da Suécia (seu país de origem). Ele gravou apenas o primeiro disco em 1984 que levava o mesmo nome da banda.

Ele então resolveu fazer um filme chamado "Spun". Infelizmente ele não chegou a ser lançado por aqui e não existe previsão de lançamento. Então o jeito foi baixar na Internet para conferir.

O filme seria inicialmente um documentário chamado "The Cook" sobre as pessoas que fazem drogas, traficam e abusam, mas a pesquisa e entrevistas acabaram virando um roteiro e virando um filme de ficção baseado em fatos reais.

Ross (Jason Schwartzman) é um típico junkie que sempre compra drogas na mão do traficante Spider Mike (John Leguizamo). Ele acaba entrando em contato com The Cook (Mickey Rourke, ressurgindo das cinzas), que é um cara que produz drogas atráves da "namorada" dele chamada Nikki (Brittany Murphy). Cook faz uma proposta de emprego a Ross, ser seu motorista em troca de drogas. Era tudo que Ross precisava, drogas quase de graça. Então é que começa a "aventura". Ross encarando várias situações com sua nova função de motorista, enquanto tenta entrar em contato com sua ex-namorada para fazer as pazes, seu caso com uma dançarina de um clube pornô, e claro, muitas drogas!

O filme não tem nenhum objetivo de dar alguma lição de moral ou algo do tipo, como em "Requiem para um sonho", mas sim tentar mostrar o dia-a-dia na vida de um bando de junkies. Acho que se parece mais com "Medo e Delírio", estrelado por Johnny Deep. Até rola um clima romântico em uma parte ou outra, mas a maior parte são de situações totalmente sem noção.

A trilha sonora original do filme foi composta por Billy Corgan. Tem umas músicas do Zwan, inclusive o cover inusitado de "Number of the Beast" do Iron Maiden em versão acústica e cantada por Matt Sweeney (que tocava guitarra na banda). O próprio Billy até faz uma pequena ponta no filme como um médico. Aparece de peruca e jaleco, fala uma frase ("That's gotta hurt") e pronto.
Postar um comentário