propaganda

terça-feira, 28 de fevereiro de 2006

Beijos e Tiros

O cinema do Itaigara tem servido como uma espécie de cinema de arte, ou melhor, como um cinema meio alternativo. Em vez de exibir algum dos maiores lançamentos, ele exibe alguns filmes que só passariam no Circuito de Arte. Um exemplo disso é o filme “Beijos e Tiros” que está sendo exibido atualmente. Ele estreou lá no Brasil no ano passado e só agora ganha uma chance aqui em Salvador, talvez somente graças ao Itaigara.

Vamos ao filme que é mais importante. Shane Black faz sua estréia como diretor. Como tem sido tema aqui no blog, ele era roteirista. A diferença é que ele andava afastado do mundo do cinema. Seu primeiro roteiro foi do filme “Máquina Mortífera”, no qual ele ficou conhecido por ser um dos roteiristas mais bem pagos da história do cinema. Ele escreveu outros roteiros de filmes de ação como “O último Boy Scout” (com Bruce Willis) e “O último grande herói” (com Arnold Schwarzenegger). Sumido desde 1999, quando escreveu um filme chamado “A.W.O.L.” (acho que nem foi lançado no Brasil), ele agora volta a trabalhar e dessa vez além de roteirista, também como diretor.

O filme é uma comédia policial que parece uma mistura de dois outros filmes escritos por ele: “Máquina Mortífera” e “O último grande herói”. A referência ao primeiro vem pelo fato de ter uma dupla de protagonistas, dessa vez Robert Downey Jr. e Val Kilmer, e o segundo pelo fato de ter uma mistura de realidade com a ficção numa “crítica” a indústria de Hollywood. Claro que não irão faltar referências a outros filmes do gênero, o que pode até ser considerado algo tipo uma homenagem.

A trama conta a história de Harry Lockhart (Downey Jr.) um ladrão que durante uma fuga acaba entrando num teste para atores de um filme, acaba ganhando a vaga e se livra da polícia. Ele irá interpretar um detetive e Gay Perry (Val Kilmer) é contratado para ajudá-lo a treinar para o papel. Ele acaba se envolvendo numa investigação de assassinato de verdade, onde ele acaba fingindo ser um detetive de verdade para Harmony (a bela Michele Monaghan), uma amiga de infância dele.

O mais legal do filme com certeza são os diálogos, as piadas muito boas, além das situações mais absurdas vividas pelos personagens. Como é uma comédia policial, então a violência também está presente. Então tem piadas com cadáveres, mutilação e assassinatos. Outra coisa legal é o personagem Harry que também é o narrador do filme. Então para aqueles que na adolescência e infância adoravam esses tipos de filmes policiais, podem ir conferir pois é diversão garantida.

Agora vamos ver se Shane Black não desaparece novamente e segue com essa nova carreira de diretor e roteirista.
Postar um comentário