propaganda

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2006

O segredo de Brokeback Mountain

Ang Lee é um cineasta com uma filmografia bastante diversificada. Ele já fez filme de artes marciais “O tigre e o dragão”, filme baseado em héroi quadrinhos como “Hulk”, o western “Cavalgada com o diabo” e até uma comédia gay chamada “Banquete de casamento”. Alguns deles com temáticas Americanas e outros Orientais. Ele nasceu em Taiwan, mas mora em Nova York há mais de vinte anos.

O seu mais novo filme “O segredo de Brokeback Mountain” vem sendo um verdadeiro sucesso de crítica e já ganhou inúmeros prêmios, e está cotado como o grande favorito ao Oscar desse ano. Foram oito indicações: filme, roteiro adaptado, trilha sonora, direção, fotografia, atriz coadjuvante (Michelle Williams), ator (Heath Ledger) e ator coadjuvante (Jake Gyllenhaal). E além disso causou uma certa polêmica por causa da temática gay. Inclusive chegou a ser proibida a sua exibição em alguns cinemas americanos. Reações totalmente exageradas, é claro. Alias o filme tem sido vendido como o “filme dos cowboys gays”, mas ele é só isso.

A história se passa no ano de 1963 e é baseada no conto da escritora Annie Prolux (inclusive o livro se chama “Close Range” e vai ser lançado no Brasil até Junho com o título de “'A queima roupa”). Ennis Del Mar (Ledger) e Jack Twist (Gyllenhaal) são dois jovens em busca de um emprego, mais precisamente para cuidar de um rebanho de ovelhas. Eles são enviados a montanha Brokeback, onde irão trabalhar juntos. No início uma relação tímida, eles nem se falam direito, mas aos poucos isso vai mudando. Claro, acaba rolando algo entre os dois. No início tudo acaba soando estranho, ambos negando e que aquilo não vai voltar acontecer. Mas o ocorrido acaba mudando suas vidas. Vou parar por aqui para não estragar a história.

O que faz o filme ser realmente bom são as atuações. Os protagonistas conseguem dar vida aos seus personagens de maneira convincente e surpreendente. A dedicação dos atores é impressionante. Seria fácil cair em certas armadilhas e acabar soando caricato ou mesmo piegas demais. Um dos méritos do filme é abordar o tema de forma original sem soar estereotipado. E claro que eles mesmo também correram o risco de acabarem sendo estigmatizados com esses papéis, mas acabaram sendo reconhecidos por seus talentos.

A fotografia é outro item que merece destaque. O visual do filme, principalmente a parte da montanha que é muito bonita. As cenas em que os protagonistas estão guiando as ovelhas também são interessantes, ainda mais com o pano de fundo. Toda a beleza do lugar foi captada pelas lentes do diretor.

O resultado é um filme muito bom e que vem merecendo o reconhecimento com todos esses prêmios que vem ganhando, e provavelmente vai ser o grande vencedor do Oscar de melhor filme deste ano.
Postar um comentário