propaganda

terça-feira, 9 de janeiro de 2007

Nacho Libre

Título Original: Nacho Libre (2006)
Elenco: Jack Black, Ana de la Reguera, Hector Jimenez, Richard Montoya e Peter Stormare
Diretor: Jared Hess
Duração: 92 minutos


Depois do lançamento adiado nos cinemas, o filme “Nacho Libre” chegou às locadoras no final do ano passado. Um pouco antes chegou também “Napoleão Dynamite”, trabalho anterior do diretor Jared Hess, que fez bastante sucesso e ganhou o prêmio de melhor filme no Mtv Movie Awards de 2005.

Hess se juntou a dupla Jack Black e Mike White, que havia trabalhado junta em “Escola do Rock”. Hess e sua esposa Jerusha se juntaram a White para escrever o roteiro. Juntos eles fizeram a fusão do universo e da visão de Hess ao humor de Jack Black.

Black vive Ignacio, um padre mexicano que cozinha para crianças órfãs. Sua igreja não tem dinheiro suficiente para comprar uma boa comida para eles, então ele resolve arrumar uma maneira de ganhar dinheiro. Ele resolve então entrar para o mundo da luta livre. Se junta ao genial Esqueleto, que não acredita em Deus e sim na ciência, para formar uma dupla para lutar. Eles são um verdadeiro fracasso no ringue, mas acabam ganhando dinheiro mesmo assim.

Assim é o universo de Hess, mostrar um personagem principal “loser” que se junta ao um secundário para tentar juntos vencer e sair dessa situação. Não sem antes passarem pelas situações mais ridículas possíveis, num humor não tão convencional assim. Para quem viu Napoleão já tem idéia do tom da história.

As cenas de luta são hilariantes! Os lutadores que aparecem na tela são totalmente sem noção. Ignacio e Esqueleto querem entrar para esse mundo, onde os lutadores andam mascarados até na rua. Ou seja, eles são lutadores dentro e fora do ringue, seus “personagens” são quem eles realmente são.

Black é a grande atração do filme, com seu sotaque misturando inglês com espanhol e sua performance sempre boa. Mesmo assim os outros personagens como Esqueleto ou uma das crianças da igreja que é uma espécie de mini-Black acabam roubando a cena.

Uma comédia divertida. Com certeza não é um dos melhores filmes de Black, mas vale a pena conferir. Diversão garantida.
Postar um comentário