propaganda

segunda-feira, 2 de abril de 2007

300

Título Original: 300 (2007)
Elenco:Gerard Butler, Lena Headey, David Wenham, Dominic West, Vincent Regan, Michael Fassbender, Rodrigo Santoro, Andrew Tiernan, Andrew Pleavin, Tyrone Benskin, Marcello Bezina, Clint Carleton
Direção: Zack Snyder
Duração: 117 minutos


Depois de ter encarado a missão de refilmar o clássico do terror “Madrugada dos Mortos”, o diretor Zack Snyder resolveu encarar outro trabalho complicado: adaptar para os cinemas a revista em quadrinhos “300 de Esparta” de Frank Miller. Após um trabalho muito bem realizado e o sucesso de “Sin City”, Miller fez as pazes com o cinema e suas obras devem ganhar versões em película mais facilmente com sua aprovação.

A adaptação de quadrinhos para os cinemas sempre causa muita polêmica entre os críticos. “Sin City” aumentou ainda mais essa discussão por sua adaptação totalmente literal, isto é, a revista foi praticamente transposta para a tela em movimento, principalmente em seu aspecto gráfico. Em “300” a coisa não foi diferente, a revista já era praticamente um storyboard.

A história narra a batalha histórica ocorrida no ano 480 AC quando o rei da Pérsia Xerxes (vivido pelo ator brasileiro Rodrigo Santoro, cada vez mais mostrando seu trabalho fora do país) enviou seu exército a Grécia para dominar a área. Acontece que a cidade grega Esparta não ia deixar isso acontecer sem lutar, assim o rei Leônidas (Gerald Butler) escolheu seus 300 melhores homens para ir a luta. Mas os detalhes históricos não devem ser levados em conta, aqui estamos em universo diferente, algo criado pelo próprio Miller.

O visual é com certeza o que mais chama atenção do filme. Todos os cenários foram construídos no computador, algumas vozes e até mesmo a pele dos atores foram modificados para recriar o universo dos quadrinhos, numa espécie de épico antigo com roupagem do século 21. A trilha sonora mistura músicas épicas e grandiosas com rock pesado, e assim por diante.

Filmes como “Gladiador” foram responsáveis por trazer novamente a moda para Hollywood os grandes épicos, seguindo o mesmo estilo de clássicos como “Ben-Hur” ou “Spartacus”. “300” segue essa mesma linha, mas por ser baseado nos quadrinhos acaba ganhando esse diferencial. Por mais que ele tenha alguns diálogos e discursos exagerados, tudo é apenas um “conto de fadas” para marmanjos, que estão mais interessados em porrada. E é justamente isso que ele faz, dando destaque para as cenas de batalhas, mostrando com detalhes a violência com direito a muita câmera lenta e sangue jorrando, tudo isso com uma beleza impressionante.

Um “filme de macho”, mas nem por causa disso ele é machista. Inclusive um trama envolvendo mulher do rei Leônidas foi acrescentada a história para não deixar as mulheres de lado. Em Esparta elas também tem seu espaço. Isso foi utilizado para enriquecer o filme, já que somente com as 84 páginas da revista não tivesse material suficiente para 2 horas de filme.

O resultado não é um nenhum grande drama épico, mas sim um filme de aventura, com muitas cenas de batalha e ação, além de um excelente visual. Diversão garantida e mais uma missão difícil realizada com sucesso pelo diretor Zack Snyder. Agora é esperar pela continuação de Sin City e ver qual vai ser a próxima obra de Frank Miller a invadir os cinemas.
Postar um comentário