propaganda

segunda-feira, 23 de julho de 2007

Transformers

Título Original: Transformers (2007)
Com: Shia LaBeouf, Megan Fox, Josh Duhamel, Rachael Taylor, Tyrese Gibson, Anthony Anderson, Jon Voight, John Turturro, Kevin Dunn, Julie White, Bernie Mac, Peter Cullen (voz), Hugo Weaving (voz)
Direção: Michael Bay
Roteiro: John Rogers, Roberto Orci, Alex Kurtzman
Duração: 144 minutos


O desenho “Transformers” foi criado a partir de uma linha de brinquedos e fez bastante sucesso nos anos 80. Muitos anos se passaram até que finalmente a série ganhasse uma versão no cinema. Quem acabou ficando responsável por isso foi o diretor Michael Bay, responsável por sucessos como “Armageddon” e “Pearl Habbor”, juntamente com a produção executiva de Steven Spielberg.

Antes de falar sobre o filme vale a pena falar sobre seu diretor. Michael Bay começou sua carreira com filmes bacanas de ação como “A Rocha” e “Bad Boys”. O problema começou com sua “megalomania” em “Armageddon” e continuou em “Pearl Habbor” (que eu nunca tive coragem de assistir). Histórias absurdas, bregas, cheias de exageros, além de muita destruição são as marcas de seus filmes. E é incrível como seus filmes ainda são vendidos como “um filme de Michael Bay”. O cara realmente é um “gênio”.

Voltando agora aos Transformers. Seria então Bay o diretor mais indicado para o filme? Se formos considerar as cenas de ação sim, essa é a sua especialidade. O problema é contar uma boa história. Aqui temos um monte de piadas cretinas, roteiro absurdo e cheio de furos com personagens humanos imbecis, além de muita breguice. A coisa é tão grave que as vezes é até difícil levar os Transformers a sério.

Dos personagens humanos o único destaque é a presença do ator John Turturro como um agente de uma agência secreta do governo. O novo astro Shia LaBeouf tem até algum carisma, mas seu personagem adolescente que por acaso vai parar no meio da briga dos Transformers não procede.

No final das contas o grande atrativo do filme são os Transformers. As cenas de ação são bacanas, apesar de algumas serem tão exageradas que chegam a ser confusas. Mas a batalha final no meio da cidade é boa, com muita destruição estilo Michael Bay e trilha sonora rock.

Tem até uma cena com Smashing Pumpkins de fundo. Tiveram que apelar para isso para eu gostar do filme apesar de tudo, mesmo a música (“Doomsday Clock”) sendo apenas uma versão instrumental.

No final das contas o filme “é uma merda, mas é de fuder”, se é que vocês me entendem. Tudo de ruim que você pode encontrado nos outros filmes de Michael Bay, só que aqui com um grande diferencial que são os Transformers. A nostalgia e emoção são grandes. Não recomendado para quem nunca viu ou ouviu falar do desenho.
Postar um comentário