propaganda

domingo, 23 de novembro de 2008

Ali G Indahouse - O Filme

Título Original: Ali G Indahouse (2002)
Com: Sacha Baron Cohen, Martin Freeman, Michael Gambon, Charles Dance e Kellie Bright
Direção: Mark Mylod
Roteiro: Sacha Baron Cohen e Dan Mazer
Duração: 88 minutos


Nota: 3 (bom)

Antes de fazer o filme “Borat” e conquista o mundo, o ator Sacha Baron Cohen tinha um programa de televisão com seu primeiro personagem a ficar famoso chamado Ali G. O comediante britânico começou em um programa inglês chamado The Eleven O'Clock Show e aos poucos foi ganhando espaço até conquistar o seu próprio programa chamado Da Ali G Show.

Foi lá que ele começou a conquistar ainda mais o público com seu jeito errado de falar e sua postura de rapper negro, apesar de ser branco. Além disso, abriu espaço para criar outros personagens, dentre eles o próprio Borat além de Bruno, repórter gay da TV austríaca que está com um filme sendo produzido.

O sucesso na Inglaterra foi tanto que ele resolveu fazer um longa-metragem chamado "Ali G Indahouse - O Filme" lançado nos cinemas apenas na Europa, mas que teve uma boa bilheteria em terras britânicas. Nos EUA e em outros lugares, como aqui no Brasil, o filme foi lançado direto em vídeo.

No programa de TV, Ali G entrevistava as mais diversas pessoas, podendo ser também políticos e celebridades, para fazer perguntas provocativas e tentar testar o limite do entrevistado.

O filme é uma história de ficção, não segue a mesma linha de Borat que é uma espécie de falso documentário. Ali G acaba indo parar no congresso inglês graças a uma conspiração de um parlamentar da oposição que escolhe uma pessoa mais ridícula e incompetente para associar esta imagem ao atual Primeiro Ministro. Dessa forma o parlamentar quer desmoralizar o parlamento e tomar o lugar do Ministro.

Acontece que tudo que Ali G faz, por mais absurdo que pareça, acaba dando certo e melhorando ainda mais a imagem do Primeiro Ministro. Inconformado o parlamentar acaba apelando para planos mais apelativos.

As piadas do filme têm um tom mais sexista e vulgar por parte do seu personagem principal. Isso pode incomodar algumas pessoas, mas passando por cima disso a diversão está garantida. O clima de besteirol também é alto, mas a crítica política acaba dando um bom equilíbrio a história apesar de tudo.

O resultado é um filme bacana, divertido, mas que passa longe da genialidade alcançada em Borat. Mas tudo bem, serve para conhecer um pouco mais do ator e seus outros trabalhos. Inclusive o próprio personagem Borat aparece em uma ponta. Nice!
Postar um comentário