propaganda

terça-feira, 31 de março de 2009

Gran Torino

Título Original: Gran Torino (EUA, 2008)
Com: Clint Eastwood, Christopher Carley, Bee Vang, Ahney Her, Brian Haley, Geraldine Hughes e Chee Thao
Direção: Clint Eastwood
Roteiro: Nick Schenk e Dave Johannson
Duração: 116 minutos


Nota: 5 (excelente)

Clint Eastwood está de volta a frente das câmeras, sem ter deixado de sair de trás. Em “Gran Torino” ele dirige e atua, algo que não fazia desde “Menina de Ouro”, que tinha sido seu último papel como ator. Ele pretendia continuar apenas dirigindo, mas o papel desse filme parecia ter sido feito para ele e então resolveu fazê-lo.

Esse ano ele completa 79 anos, mas mesmo assim continua com um ritmo intenso de trabalho, fazendo praticamente 2 filmes por ano. Pode até ter errado a mão em “A Troca”, que eu não assisti, mas aqui ele faz mais um excelente filme.

Eastwood vive Walt Kowalski, veterano de guerra que acabou de perder sua esposa. Sua família agora não sabe o que fazer com ele. Seu relacionamento com os familiares é nulo, não se identificam em nada. Seu único afeto é o carro e sua cachorra de estimação. Para completar ele também não se esforça nem um pouco em ser simpático.

O pano de fundo da história é a crise atual americana, retratada na cidade de Detroid que vive a crise da indústria automobilística. Kowalski é justamente aquele americano saudoso, que se lembra da época boa dos anos 70 e não se adaptou a essa nova realidade.

O drama começa quando Kowalski acaba se envolvendo com a família vizinha de origem oriental. O filme mostra que mesmo depois de velho ainda temos algo a aprender, entrando em questões que envolvem também um conflito urbano.

O filme consegue aos poucos envolver o espectador e mesmo com alguns pequenos problemas o poder da história fala mais alto, resultando em um excelente filme, comprovando mais uma vez o talento de Eastwood tanto como diretor quanto como ator.
Postar um comentário