propaganda

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Evocando Espíritos

Título Original: The Haunting in Connecticut (EUA, 2009)
Com: Virginia Madsen, Kyle Gallner, Amanda Crew, Martin Donovan e Elias Koteas
Roteiro: Adam Simon e Tim Metcalfe
Direção: Peter Cornwell
Duração: 92 minutos


Nota: 2 (regular)

Filmes de terror e suspense precisam de mais do que simples cenas de susto fácil e efeitos especiais para serem bons. Antes tudo é necessário, é claro, uma boa história. Baseado em fatos reais, “Evocando Espíritos” tinha uma boa premissa e poderia até ser interessante. Pena que o diretor Peter Cornweel, em sua estréia na direção, tenha optado pelo caminho mais fácil e deixou a trama de lado.

A família Campbell acaba se mudando temporariamente para uma casa em Connecticut enquanto um dos filhos passa por um tratamento de saúde bastante delicado. O problema é que eles descobrem que o lugar tinha sido uma espécie de funerária antigamente e irá aterrorizar na família.

Até aí a história é bastante básica. Os elementos que existem e poderiam dar um diferencial ao filme acabam sendo deixados de lado. Por exemplo, o filho que está passando pelo tratamento de saúde é o primeiro a começar a ter alucinações. Acontece que os remédios que ele está tomando podem causar algumas visões, mas o filme não chega a explorar esse lado para ver até que ponto ele estaria ficando louco ou não.

Isso sem falar dos próprios problemas financeiros da família, já que o tratamento é caro, entre outros. Tudo isso acaba sendo muito mal explorado na trama e acabam ficando vários furos no roteiro.

Então o diretor acaba apelando para a parte técnica, um dos pontos de destaque do filme. A trama fica de lado em troca do susto fácil. Um vulto passando por ali, outro aparecendo no espelho e coisas do tipo. Infelizmente não adianta ter bons truques sem uma boa história. Até o elenco está razoavelmente bem, com destaque para Virginia Madsen como a mãe da família.

Não faltam também referências a outros filmes do gênero como “O Iluminado” ou “O Exorcista”, com direito até a ajuda de um padre para tentar exorcizar a casa. Mas esses elementos não são capazes de salvar a história, transformando o filme em apenas razoável. Uma pena pois o resultado poderia ter sido muito melhor.
Postar um comentário