propaganda

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Youth in Revolt

Título Original: Youth in Revolt (EUA, 2010)
Com: Michael Cera, Portia Doubleday, Jean Smart, Mary Kay Place, Zach Galifianakis, Justin Long, Ray Liotta e Steve Buscemi
Roteiro: Gustin Nash
Direção: Miguel Arteta
Duração: 90 minutos


Nota: 3 (bom)

O ator Michael Cera sempre interpreta o jovem meio “loser” típico americano que sonha em encontrar um grande amor. Em “Youth in Revolt” ele está em mais uma variação desse papel e mais uma vez está muito bem nele, afinal de contas é a sua especialidade.

Ele vive Nick, um jovem de 16 anos que mora com a mãe e tem os pais separados. Ele tem um gosto refinado para música e cinema, com isso não é um cara comum e “interessante” para as meninas da sua idade.

Em uma viagem com a mãe e o seu namorado ele acaba conhecendo Sheeni (Portia Doubleday), uma bela garota que também tem um gosto refinado parecido com o dele. Os 2 se identificam e rola o clima de romance, o problema é a distância.

Eis então que Nick resolve colocar um plano em prática para conseguir ficar junto com Sheeni. Ele cria um alter-ego imaginário que irá encorajá-lo a mudar e se tornar mais rebelde e confiante. O plano incluir fazer com que o pai se mude para a mesma cidade que Sheeni e depois ele brigar com a mãe para ser expulso de casa para morar com pai.

O plano parece simples, mas irá envolver um rastro de caos e destruição. Parece uma espécie de “Clube da Luta” versão adolescente rebelde. Até então o filme caminha bem. Em sua segunda parte a história perde um pouco de força e apesar de ter ótimos atores e personagens o pouco tempo em cena deles não ajuda muito.

O grande destaque do filme é Michael Cera, em papel duplo, que esbanja simpatia, humor e cinismo criando mais um personagem legal e interessante. Apesar do filme um pouco irregular a sua presença faz com que o resultado seja positivo. Por enquanto ainda não existe previsão de lançamento desse filme no Brasil.

Postar um comentário