propaganda

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Lincoln

Título Original: Lincoln (EUA , 2012)
Com: Daniel Day-Lewis, Sally Field, Tommy Lee Jones, Joseph Gordon-Levitt, David Strathairn, Lee Pace, Jared Harris, Hal Holbrook, James Spader, John Hawkes, Tim Blake Nelson, Bruce McGill, Joseph Cross, David Costabile, Byron Jennings, Dakin Matthews, Boris McGiver, Gloria Reuben, Jeremy Strong e David Warshofsky, Michael Stuhlbarg, Walton Goggins e Jackie Earle Haley
Direção: Steven Spielberg
Roteiro: Tony Kushner
Duração: 150 minutos


Nota: 3 (bom)

O filme “Lincoln”, novo trabalho de Steven Spielberg, aborda um trecho importante da história dos EUA ao mostrar todo o jogo político que envolveu a aprovação da 13ª emenda que iria acabar com a escravidão e isso levaria ao fim da Guerra Civil que estava destruindo o país. O ano é 1865.

No início do filme temos uma pequena explicação sobre o que está acontecendo na Guerra Civil. Temos uma pequena cena para ilustrar o conflito, mas o que interessa mesmo são os bastidores da política. Iremos acompanhar as negociações que envolveram a aprovação da emenda.

O tema é complexo e envolve muitas figuras históricas que fora dos EUA não são muito conhecidas, afinal de contas não temos tanto interesse em estudar a fundo a história do país. Mas Spielberg tenta ser bastante didático colocando legendas para identificar a aparição de alguns personagens para facilitar o entendimento.

Aqueles que não tem interesse em política ou muito menos na história dos EUA podem passar bem longe pois vai ser difícil aguentar as 2 horas e meia de filme. Mas quem aguentar irá ver um retrato interessante sobre os bastidores da política e iremos perceber o quanto isso não evoluiu muita coisa. Trata-se de jogo de interesses que na maioria das vezes depende mais das necessidades pessoais dos políticos do que interesse da população.

A ideia inicial seria tentar mostrar um retrato bastante realista da época baseado no livro “Team of Rivals” de Doris Kearns Goodwin ao analisar as decisões de Lincoln e o gabinete político formado por ele num momento crucial e decidir entre tentar estender um pouco mais o conflito para tentar aprovar a emenda ou tentar negociar o fim da guerra deixando de lado a escravidão.

Nós sabemos que Lincoln foi um mito, então seria interessante tentar enxergar no filme o que teria levado esse homem a virar essa grande figura história. Mas o filme parece que vai fazer isso, mas na verdade acaba retratando-o como um mito. Acaba abusando do melodrama e da trilha sonora “tocante” para tentar emocionar o público de maneira artificial.

Ainda assim ele consegue um resultado mais “realista” do que seu filme anterior “Cavalo de Guerra”, onde uma história interessante acaba virando um melodrama barato. Isso graças ao incrível elenco presente no filme.

Obviamente o grande destaque Daniel Day-Lewis no papel principal que mais uma vez entrega uma atuação brilhante. Sua caracterização ficou impressionante. Pena que o filme não consiga chegar perto do seu trabalho como ator.
Postar um comentário