propaganda

quinta-feira, 21 de março de 2013

Este é o Meu Garoto

Título Original: That's My Boy (EUA, 2012)
Com: Adam Sandler, Leighton Meester, James Caan, Susan Sarandon, Milo Ventimiglia, Andy Samberg, Eva Amurri Martino, Will Forte, Ciara e Vanilla Ice
Direção: Sean Anders e John Morris
Roteiro: David Caspe e Ken Marino
Duração: 116 minutos


Nota: 2 (regular)

Após muitas comédias voltadas para a “família”,  Adam Sandler resolveu voltar a fazer filmes para “adultos”. A premissa de “Este é o Meu Garoto” é até legal, mas o roteiro é tão ruim que apenas alguns momentos conseguem salvar o filme do fracasso total, mas sem conseguir um resultado satisfatório.

Sandler “apadrinhou” o comediante Andy Samberg já que trabalharam juntos 2 vezes em 2012. Além desse eles também fizeram juntos a animação “Hotel Transilvânia”. Talvez por enxergar nele uma versão mais nova sua já que ambos começaram no programa Saturday Night Live e até se parecem fisicamente, tanto que aqui eles interpretam pai e filho.

Como falei no início, a ideia do filme era legal. Sandler vive Donny, um cara que ficou famoso por ter engravidado a professora na época do colégio quando tinha 13 anos. Ela foi presa e ele nunca conseguiu ser um bom pai. O tempo passa e eles se afastam, mas Donny tem problemas financeiros e resolve ir pedir ajuda ao filho. Então descobre que Todd (Samberg) irá se casar e vai tentar uma reaproximação, mas o filho tem vergonha do pai e eles fingem serem apenas amigos.

Apesar de ser focado no público adulto por causa da censura, o tema acaba sendo voltado para a família na relação entre pai e filho. E é justamente nessa exploração que o filme erra feio. Principalmente na conclusão. Ficou parecendo os filme que Sandler vinha fazendo só que com piadas mais “pesadas” e “sujas”.

Mas o filme não é um fracasso total. Sandler e Samberg são bons comediantes e o filme tem bons momentos. Algumas piadas acabam soando meio repetitivas e pouco criativas, como por exemplo mostrar Sandler brigando com um “idoso”, algo parecido com feito em “Um Maluco no Golfe” (“Happy Gilmore” de 1996).

Quem acaba rendendo os melhores momentos do filme é o “rapper” Vanilla Ice interpretando uma versão fictícia dele mesmo. Sem dúvidas as melhores piadas e momentos envolvem a sua presença, que aparentemente seria curta mas acaba sendo bastante prolongada. Devem ter percebido que era a melhor piada do filme.

Ainda que seja positivo ver Sandler tentando sair dos filmes censura “família” do qual ele se acostumou a fazer ultimamente, o filme não traz nada de novo e acaba soando repetitivo em tentar trazer novamente os melhores momentos de sua carreira. E o pior é ver ele levando  Samberg junto com ele. Pelo menos na animação eles se saíram melhor.
Recomendado apenas para fãs de Sandler. Mas eu gostava dos filmes dele mais antigos, então pode ser que você acabe se decepcionando assim como eu. Vale falar que o filme foi um fracasso de bilheteria nos EUA e aqui no Brasil acabou sendo lançado direto em DVD agora em 2013. Isso pode significa que ele deve voltar ao terreno seguro em suas comédias família, o que é uma pena. Vamos aguardar.
Postar um comentário