propaganda

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

O Homem Mais Procurado

Título Original: A Most Wanted Man (EUA/Alemanha/Reino Unido , 2014)
Com: Philip Seymour Hoffman, Grigoriy Dobrygin, Nina Hoss, Daniel Brühl, Rachel McAdams, Robin Wright, Rainer Bock, Mehdi Dehbi, Homayoun Ershadi e Willem Dafoe
Direção: Anton Corbjin
Roteiro: Andrew Bovell
Duração: 122 minutos

Nota: 4 (ótimo)

O diretor Anton Corbjin se afasta mais um pouco do lado musical, após uma carreira em que dirigiu vários videoclipes e fez “Control” (sobre o lider do Joy Division), agora parece estar mais interessado em espionagem. Após “Um Homem Misterioso”, agora ele resolveu adaptar “O Homem Mais Procurado”, obra do autor John le Carré (que também teve o livro “O Espião que Sabia Demais” adaptado ao cinema).


Aqui temos mais um filme de espionagem feito para adultos. Então não esperem cenas de ação tipo 007, mas sim muito drama e o lado psicológico envolvendo o dia a dia do trabalho de uma equipe de espiões sob a paranóia pós 11 de setembro. Estamos na Alemanha e equipe liderada por Günther Bachmann (Philip Seymour Hoffman) está acompanhando a chegada do imigrante ilegal checheno Issa Karpov (Grigoriy Dobrygin) para descobrir o motivo de sua visita. Mas ele é apenas um peixe pequeno que pode levar a um peixe maior. Aí é que começa todo o jogo de intrigas e espionagem entre Alemanha e Estados Unidos. Melhor prender logo o pequeno ou esperar para ver até onde a pista pode levar?

O tom e o estilo da trama lembram bastante “O Espião que Sabia Demais”, mas aqui a história é um pouco menos “confusa” e envolve menos personagens o que torna mais fácil de acompanhar. Anton Corbjin dita um ritmo lento para emular bem o universo da espionagem que depende muito mais do lado psicológico em cima dos envolvidos. Tanto que o personagem Günther está sempre envolvido em alguma reunião, ou então está com um cigarro e um copo de whisky na mão mostrando o quão exausto está na investigação.

O elenco tem ótimos nomes e todos eles fazem jus a seu talento. Uns como Daniel Brühl (Edukators) acabam ficando sub aproveitados, mas é bom ver Rachel McAdams (Meia-Noite em Paris), Robin Wright (House of Cards) e Willem Dafoe (O Grande Hotel Budapeste) em ótimas performances. 

Agora sem dúvidas que o grande destaque fica para Philip Seymour Hoffman (O Mestre). A maneira complexa como ele constrói seu personagem é excelente. E infelizmente esse foi o último filme que ele finalizou. Ele morreu 1 semana após o final das filmagens. Uma pena perder esse grande ator e aqui ele mostra o quanto vai fazer falta.
O resultado é um ótimo filme de espionagem, mas que apesar do grande elenco e um bom roteiro não consegue fugir do lugar comum característico desse tipo de história. O diretor Anton Corbjin se consolida como um bom diretor e vamos ver se em seu próximo trabalho ele vai continuar nesse universo, voltará para a algo relacionado a música ou se vai tentar a sorte num gênero diferente.
Postar um comentário