propaganda

terça-feira, 19 de julho de 2016

Caça-Fantasmas (Ghostbusters)

Após  especulações sobre o lançamento de um novo filme “Caça-Fantasmas” com o elenco original, nada melhor que começar do zero. A ideia de filmar com mulheres como casting principal foi muito boa, especialmente após a morte de Harold Ramis, um dos protagonistas. Além disso, Bill Murray sempre mostrou-se relutante em participar de uma nova continuação, já que a sequência foi inferior ao primeiro longa. Aliás, o novo filme não apenas faz jus ao “Os Caça-Fantasmas”, como talvez seja melhor que a continuação. O roteiro também presta uma bela homenagem à franquia em diversas referências.

A tarefa em produzir um novo “Caça-Fantasmas” ficou com Paul Feig, que tem bastante experiência em comédias. O elenco conta com Melissa McCarthy e Kristen Wiig. Ambas trabalharam com o diretor em “Missão Madrinha de Casamento”. Leslie Jones e Kate Mckinnon são as outras duas caça-fantasmas. Atualmente, elas fazem parte do elenco do programa televisivo Saturday Night Live. Mesmo ao manter o formato original com 4 protagonistas, a produção, felizmente, alterou a personalidade dos personagens.

O roteiro de Paul Feig e Katie Dippold tinha uma árdua tarefa ao trilhar um caminho próprio, com nova trama, pois apesar disso era preciso manter elementos similares aos existentes no filme original para agradar os fãs. Ele é bem sucedido em ambos, embora peque algumas vezes pelo excesso de referências. Provavelmente o maior erro seja o de utilizar muitas vezes a música de Ray Parker Jr., inclusive em diversas versões. Algumas vezes funciona e o público evoca o sentimento saudosista com relação à franquia. Já outras vezes serve como “muleta musical” ao longo do filme. No que diz respeito às participações especiais são todas maravilhosas, ainda que algumas nada acrescentem à trama.

Na história, Erin Gilbert (Kristen Wiig) e Abby Yates (Melissa McCarthy) escreveram um livro sobre o mundo sobrenatural. Entretanto, Erin abandonou o tema e dá aulas em uma universidade. Ao surgir uma oportunidade de investigar um fantasma, em uma mansão, elas se reúnem novamente. Porém, agora Abby trabalha com Jillian Holtzmann (Kate McKinnon). Mais tarde, quem entra no time é Patty Tolan (Leslie Jones), uma funcionária do metrô que vê um fantasma, entra em contato com o grupo e acaba fazendo parte dele. Ela contribui muito por conhecer bastante sobre a história da cidade de Nova York.

A trama é bem construída e a caracterização das personagens é muito bem desenvolvida. Cada uma das quatro protagonistas tem espaço e momento para se destacar. Curiosamente tanto Wiig quanto McCarthy estão bem contidas comparadas com trabalhos anteriores. Quem rouba a cena, na maior parte das vezes, é Kate McKinnon ao criar uma personagem absolutamente insana e divertida. Ela garante os momentos mais engraçados do filme. Outro personagem engraçado é o de Chris Hemsworth. Ele usa o clichê que tantas vezes foi usado em comédias com protagonistas femininas: o homem é um completo idiota e está cercado por mulheres poderosas. Apesar de ser caricato e absurdo a piada é hilária justamente por ser caricata e absurda.

Eu diria que um ponto negativo na trama é o vilão. Apesar de a ideia em torno do personagem ser boa, o ator não tem muito carisma e não consegue se desenvolver de forma interessante. Nerd, solitário, rancoroso e sexista - a ideia aqui era fazer piada com as críticas que filme sofreu, antes da estreia, por ser estrelado por mulheres -, ele só se torna um personagem divertido quando troca de corpo após uma possessão fantasmagórica.
Logo na cena inicial uma das coisas que chama a atenção é o tom do filme. Apesar de ser uma comédia, a parte de terror realmente é bem assustadora. Os fantasmas são muito bem feitos e o 3D ajuda na caracterização. O primeiro ser do além que aparece dá um baita susto no espectador. O filme não dá medo, mas o elemento aterrorizante veio bem a calhar. Afinal de contas, o filme é sobre pessoas caçando fantasmas e não dá pra ser engraçado o tempo inteiro (risos).

É um alívio poder elogiar o uso do 3D. Neste filme, o efeito funciona muito bem e não serve apenas para cobrar mais caro no ingresso do cinema. Uma ideia boa foi utilizar o formato letterbox (com faixas pretas acima e abaixo do quadro onde está a imagem do filme). Dessa forma, alguns elementos da cena saem da tela e passam por cima da parte preta, dando a impressão de que estão saltando para fora do filme, causando um efeito bem divertido. Os efeitos visuais são ótimos, principalmente nos fantasmas, e influenciam positivamente as cenas de ação, rendendo momentos muito engraçados. Uma das novidades são as novas armas que vão além dos tradicionais feixes de prótons (que utilizam os mesmos efeitos sonoros do original).

O novo “Caça-Fantasmas” conseguiu cumprir a tarefa difícil de fazer um reboot na franquia. Criou algo novo, mas manteve os principais elementos do original. Apesar de alguns problemas pontuais, o resultado é extremamente divertido e engraçado. Uma ótima mistura de frescor e saudosismo na medida certa.

* Texto revisado por Elaine Andrade

Título Original: Ghostbusters (EUA, 2016)
Com: Melissa McCarthy, Kristen Wiig, Leslie Jones, Kate McKinnon, Chris Hemsworth, Neil Casey, Andy Garcia, Cecily Strong, Ed Begley Jr., Zach Woods, Charles Dance, Karan Soni, Nate Corddry, Toby Huss, Michael McDonald, Michael Kenneth Williams, Matt Walsh e Steve Higgins
Direção: Paul Feig
Roteiro: Paul Feig e Katie Dippold
Duração: 116 minutos

Nota: 4 (ótimo)
Postar um comentário