propaganda

segunda-feira, 17 de abril de 2006

A era do gelo 2

Em 2002 o filme “A era do gelo” marcou a entrada do estúdio Fox na briga das animações de longa-metragem. Produzido pelo estúdio Blue Sky, tinha na direção Chris Wedge e a co-direção do brasileiro Carlos Saldanha. Ele agora ganhou a chance de comandar o seu primeiro filme nessa continuação “A era do gelo 2”.

Os três amigos estão de volta: Manny (o mamute), Sid (a preguiça) e Diego (o tigre dentes-de-sabre). Depois de sobreviverem à geleira, agora eles terão que lutar contra uma inundação que promete acabar com o seu habitat.

É possível perceber as evoluções na animação digital nessa continuação. Os personagens estão com mais detalhes, mais bem definidos visualmente e alguns cenários estão nitidamente mais complexos. Claro que ainda não estão perfeitos. Uma das coisas mais complicadas de fazer é água. É nesse quesito que da para perceber que ainda da pra evoluir mais um pouco. O diretor Saldanha falou sobre essa dificuldade em uma entrevista.

Agora enquanto os efeitos ficaram mais complexos, a história ficou mais simples. Se no primeiro os personagens tinham muito mais conflitos pessoais, nessa continuação eles resolveram fazer um filme-pipoca fixado no humor e algumas cenas de ação. É aí que começam os problemas dele. Onde foi parar a graça? O filme é bastante sem graça, essa é a verdade. E as cenas de aventura são bem fracas e apelativas.

Um outro problema é que o personagem Scrat, a mistura de esquilo com rato, que ficou famoso no primeiro filme por sua perseguição incansável a sua noz. Aqui na continuação ele ganha destaque como um dos principais da trama. Isto é, sua trama é mostrada em paralelo, tipo um filme dentro do outro, soando totalmente desconexo, até que no final ele acaba ganhando um objetivo real dentro da história. Alias, que desfecho bizarro o filme ganhou graças a ele.

Se o objetivo era ser mais engraçado que o primeiro, esse não foi cumprido. A história acabou ficando em segundo plano e deixada de lado. Quem sabe no terceiro não fazem logo um filme somente do Scrat e deixam os personagens principais de lado. Bom, talvez pelo menos para as crianças (o público alvo do filme) ele funcione melhor. Talvez quem sabe elas não se divirtam.

Para mim é chega de filme de bichinhos! O jeito é aguardar para a nova animação da Pixar que promete bastante! Estou falando de “Carros”, esse sim parece que vai ser legal. É aguardar pra ver.

Vale deixar aqui novamente a reclamação da falta de cópias legendadas. Tudo bem, eu já tinha visto o primeiro dublado, mas a falta de opção é foda. E se “Os Incríveis” só veio com cópias dubladas, o que esperar para “Carros”? Pelo jeito vou ter que baixar na Internet para assistir.

O diretor Carlos Saldanha está bem de vida. O filme vai bem nas bilheterias americanas. Para seu primeiro trabalho na direção está bem. Quem sabe no próximo ele não acerta a mão.
Postar um comentário