propaganda

quinta-feira, 29 de março de 2007

Scoop - O Grande Furo

Título Original: Scoop (2007)
Elenco: Scarlett Johansson, Woody Allen, Hugh Jackman, Ian McShane e Romola Garai
Diretor: Woody Allen
Duração: 98 minutos


Eu com certeza já devo ter dito isso antes aqui no blog: os filmes de Woody Allen são sempre bons, mesmo quando são ruins. O seu mais novo longa se chama “Scoop – O Grande Furo” e mantém a qualidade de sempre.

Para um diretor que faz praticamente um filme por ano, conseguir manter uma uniformidade é complicado, mas ele consegue. Ele filma pela segunda vez em Londres e com a atriz Scarlett Johansson, que parece ter se tornado a sua nova musa. Claro que ela ainda está longe de atrizes como Diane Keaton (8 filmes) e Mia Farrow (13 filmes), mas quem sabe ela não chega lá.

Se em “Match Point” Allen fez um filme mais sério e dramático, que envolvia um assassinato na classe alta londrina, em “Scoop” o mesmo tema é de certa forma abordado, só que dessa vez usando um tom cômico. Ele já tinha feito algo parecido em “Melinda e Melinda”, só que agora foram 2 filmes separados. Outro retorno é do diretor a frente das telas, já que no anterior ele tinha ficado apenas atrás.

A história já assume um tom totalmente absurdo logo de início ao mostrar um jornalista que depois de morrer, durante o caminho para a vida eterna, acaba descobrindo um “scoop” (furo de reportagem): Peter Lyman (Hugh Jackman), um jovem aristocrata é um serial killer conhecido como “assassino do tarô”. Então o jornalista entra em contato com o mundo dos vivos para passar o seu “scoop” para alguém investigar. Aí é que entram na história a jovem jornalista Sondra Pransky (Scarlett Johansson), que durante um número de mágica do mago Splendini (o próprio Woody Allen) acaba recebendo a visita do repórter. Ela então resolve ir investigar o caso com a ajuda do mágico.

É engraçado ver como Allen conseguiu transformar Scarlett num alter ego feminino seu, com direito até a um óculos redondo. Os dois juntos na tela formam uma dupla bastante interessante. Os diálogos entre eles são sempre muito engraçados. Talvez em outros tempos eles seriam o par romântico da trama, mas ele já um senhor de idade e isso cada vez já se reflete em seus últimos filmes. Sobra então para ela e Hugh Jackman a parte romântica da história, mas claro que a comédia sempre fica em primeiro plano.

É bom ver que Allen continua em forma, fazendo bons filmes, e principalmente o que faz melhor que são as comédias. Talvez esse filme não faça tanto sucesso de crítica e prêmios quanto o anterior, mas essa não é a sua intenção.

Seu próximo filme parece que vai ser feito na Espanha e além de contar novamente com Scarlett no elenco, ainda vai ter Penélope Cruz e a volta de Diane Keaton. Esse promete ser bom!
Postar um comentário